Skip to main content

Libertar o gênero humano: o propósito coletivo das conferências da Ciência Cristã

Da edição de dezembro de 2016 dO Arauto da Ciência Cristã

Tradução do original em inglês publicado na edição de agosto de 2016 de The Christian Science Journal.


“Pôr um fim às falsidades”, “desafiar a indiferença universal”, dar testemunho da “maneira do Cristo de compreender a Vida”, e “proclamar a Verdade de forma tão convincente, que um afeto fervoroso e honesto pelo gênero humano seja suficiente para emancipá-lo”. Essas citações são apenas parte das orientações que Mary Baker Eddy deu ao Quadro de Conferencistas, em uma carta publicada em The First Church of Christ, Scientist, and Miscellany [A Primeira Igreja de Cristo, Cientista, e Vários Escritos]. (Veja a carta na íntegra, nas páginas 248 e 249 desse livro.) 

Nos últimos meses, temos recebido alguns relatórios maravilhosos de curas ocorridas durante as conferências, tais como de lesão na coluna, de visão dupla, de verrugas, de perna paralisada, de caroço no seio e de cegueira. Uma pessoa escreveu que pela primeira vez, em quase 20 anos, sentiu a presença de Deus. Outra contou que estivera lutando durante muito tempo para sentir o amor de Deus, e que agora o sente. Também soubemos de curas de dificuldades financeiras e de emprego, as quais ocorreram imediatamente após alguma conferência.

Muitas pessoas e famílias começaram a vir à igreja pela primeira vez, enquanto outras voltaram a frequentá-la depois de muitos anos sem fazer isso. Membros de outras tradições religiosas, inclusive clérigos, disseram que conceitos errados sobre a Ciência Cristã foram derrubados. Logo após ouvir uma conferência patrocinada por uma Organização da Ciência Cristã de uma universidade, uma assistente de Capelania de outra denominação religiosa relatou que ajudara a corrigir conceitos errôneos a respeito da Ciência Cristã em uma conferência inter-religiosa da qual participara, quando outros participantes estavam fazendo declarações inverídicas sobre a Ciência Cristã. Profissionais da área médica que assistiram a uma conferência relataram que foram beneficiados pela leitura de Ciência e Saúde. Até mesmo pessoas que, mesmo estando a certa distância, conseguiram ouvir uma conferência, tais como guardas que trabalham em prisões, pediram o livro. Após uma conferência, um técnico de som contou a um conferencista que já havia lido 30 páginas do livro, enquanto esperava as pessoas saírem do recinto.

Temos recebido esse tipo de relato do mundo todo, como também de grupos, grandes e pequenos, da igreja.

Ao invés de proporcionar conferências focadas em determinados temas, tais como lidar com a violência, com vícios ou desemprego, estamos nos empenhando em oferecer conferências que abordem o que está por trás dessas questões, por assim dizer. Quando isso for feito de maneira eficaz, haverá pessoas que sairão de uma conferência não somente com respostas para um assunto pessoal ou social, mas também com um novo senso de “Vida no Espírito e do Espírito” (Mary Baker Eddy, Miscellaneous Writings [Escritos Diversos] 1883–1896, p. 24), e de como descobrir mais sobre isso. Estamos trabalhando para tornar clara aquela “maneira do Cristo de compreender a Vida”, a qual está no âmago da descoberta extraordinária de Mary Baker Eddy. Primordial a esse objetivo é responder às concepções equivocadas a respeito da Ciência Cristã e proporcionar uma ideia verdadeira sobre quem Mary Baker Eddy é e o que sua vida significa para o mundo. (ver Regulamentos referentes ao Quadro de Conferencistas no Manual da Igreja, de Mary Baker Eddy, a partir da página 93).

O efeito de levedação de uma conferência não está fundamentado na pessoa que a profere, assim como não está fundamentado nos membros que planejam o evento. Palavras eloquentes e motivos benevolentes por si só não esclarecem concepções equivocadas nem curam. O espírito da Verdade — o Cristo se manifestando na consciência humana — é que faz isso, e, assim, tanto os patrocinadores da conferência como o conferencista trabalham em parceria para reconhecer e sentir o Cristo de novas maneiras, antes, durante e após a conferência. As conferências curam somente na medida em que isso é alcançado.

Hoje, poderíamos dizer que bilhões de “...mentalidades sem preconceitos — que com simplicidade procuram a Verdade, viandantes fatigados, sedentos no deserto — aguardam, atentos, o repouso e o refrigério” (Mary Baker Eddy, Ciência e Saúde com a Chave das Escrituras, p. 570). Também é útil saber que aquilo que às vezes somos tentados a perceber como falta de receptividade não é o relato correto a respeito da mente e do caráter verdadeiros de uma pessoa, assim como a aparência de alguma doença ou acidente também não é. Ao fazermos, por nós mesmos, aqui e agora, descobertas mais profundas sobre a verdadeira natureza do homem — incluindo a receptividade ao espírito da Verdade, a qual é inerente a todas as pessoas — ficamos cada vez mais preparados para ver e demonstrar tal receptividade em nossa própria comunidade.

Isso não significa que todas as pessoas virão a uma conferência ou começarão a estudar a Ciência Cristã. Mas é muito mais fácil conversar com as pessoas sobre a Ciência Cristã e compartilhá-la juntos, quando reconhecemos que todas as pessoas já estão conectadas à Verdade universal e a amam inerentemente. 

Esclarecer concepções equivocadas a respeito da Ciência Cristã e de sua Descobridora e proclamar a Verdade “de maneira convincente”, com o mesmo afeto que a Sra. Eddy descreve na carta que escreveu ao Quadro de Conferencistas mencionada acima, significa comunicar ideias profundas e corajosas, de tal modo que sejam as mais humildes e universalmente acessíveis. Somos gratos pela maneira como isso já está sendo realizado e estamos nos dedicando a progredir ainda mais nessa direção. Desejamos que todos se sintam à vontade e confiantes, até mesmo muito entusiasmados, para convidar amigos, colegas e outros membros da comunidade para uma conferência da Ciência Cristã.

Ao seguirmos em frente, convidamos vocês a nos enviarem seus comentários, escrevendo para o e-mail lecture@christianscience.com. Podem ser inclusive comentários a respeito dos frutos gerados pelas conferências e ideias de como podemos melhorar. Também gostaríamos que soubessem que valorizamos muito a sua parceria. Cumprir com a visão de Mary Baker Eddy para o Quadro de Conferencistas é uma demonstração coletiva, a ser feita por todos os membros de nossa Igreja.

Tom McElroy
Gerente, Quadro de Conferencistas

Tradução do original em inglês publicado na edição de agosto de 2016 de The Christian Science Journal.

TENHA ACESSO A MAIS ARTIGOS TÃO BONS COMO ESTE!

Bem-vindo ao Arauto-Online, o portal dO Arauto da Ciência Cristã. Esperamos que tenha gostado deste artigo que foi partilhado com você.

Para ter acesso total aos Arautos, ative sua conta usando seu número de assinante do Arauto impresso, ou assine JSH-Online ainda hoje!

More in this issue / dezembro de 2016

A Missão dO Arauto

Quando Mary Baker Eddy estabeleceu o Arauto em 1903, ela disse que sua missão era a de "anunciar a atividade e a disponibilidade universal da Verdade" (The First Church of Christ, Scientist, and Miscellany, p. 353).

O Arauto registra, em suas páginas, a transformação que ocorre na vida de muita gente e mostra que cada um de nós pode chegar à Verdade.

Que alegria pensar que o efeito da Verdade atua na consciência humana, trazendo cura e renovação! Nosso Mestre, Cristo Jesus, nos prometeu algo que de fato está se cumprindo: "E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará" (João 8:32).

Cyril Rakhmanoff, O Arauto da Ciência Cristã, edição de julho de 1998
Conheça melhor O Arauto e sua missão.