Skip to main content Skip to search Skip to header Skip to footer

Podemos transmitir paz

Da edição de julho de 1999 dO Arauto da Ciência Cristã


O porteiro do edifício onde eu moro sempre cumprimenta quem entra ou sai do edifício, com muita alegria: "Bom Dia, Dona Fulana, Boa Tarde, Sr. Ciclano." Não importa se é de manhã, tarde ou noite, ele realmente quer desejar um dia realmente bom.

Em diferentes línguas e culturas há uma grande variedade de expressões utilizadas para cumprimentar. No oriente médio, em épocas bíblicas, e até hoje, as saudações muitas vezes começam com "A paz seja contigo", ou "A paz seja convosco". Aliás, muitas formas de saudação no Antigo Testamento empregam essas palavras. Através dos séculos tornaram-se tão comuns, que agora quase ninguém presta atenção ao que elas querem dizer. No entanto, há algo muito profundo no ato de desejar paz, essa paz que o mundo tanto necessita hoje em dia.

Em muitos lugares está havendo conflitos armados entre nações, ou guerras entre facções dentro de um mesmo país ou região. Às vezes mesmo sair de casa parece perigoso, devido ao elevado índice de crimes, ou ao terrorismo. É como se a sociedade estivesse em guerra consigo mesma. Seria de fato muito bom, aliás seria importante afirmar, como uma oração, a idéia de "Paz seja contigo", todas as vezes que nos encontramos com alguém. Seria muito melhor do que simplesmente dizer "Oi!"

Podemos fazer muito mais do que desejar paz a alguém. O porteiro do meu prédio com certeza é sincero, mas isso não quer dizer que seu cumprimento modifique os acontecimentos do dia daqueles que recebem seus bons votos. Mas orar para estabelecer paz, isso sim é uma oportunidade de fazer alguma coisa que adiante, que de fato faça alguma diferença.

A oração mais eficaz é muito mais do que rogar a Deus para que conceda paz. Deus é Amor divino, e Ele não deseja nada inferior à pura paz para Seus filhos. Por isso mesmo é importante compreender o que é a verdadeira paz. É a lei e a presença da ação harmoniosa. Ninguém está fora da presença de Deus, o qual é inteiramente bom. Ninguém está fora do alcance do Seu governo pacífico. Deus governa todos os aspectos do ser do homem, porque Ele é onipresente, Tudo-em-tudo. Não há lugar na realidade divina para conflito dentro do indivíduo ou entre indivíduos. Orar a partir dessa base nos dá a certeza de que na presença de Deus não existe causa para a discórdia. A lei de Deus com naturalidade transmite paz.

Confiar no poder infinito de Deus e em Sua presença confere autoridade à oração — autoridade para fazer calar o medo. Essa oração tem a capacidade de estabelecer a paz em nossa vida.

Cristo Jesus disse a seus discípulos: "Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como a dá o mundo" (João 14:27). O que Jesus fez não foi meramente desejar-lhes paz. Ele demonstrou a substância espiritual e a realidade da paz. A paz que ele transmitiu ainda está ao alcance de todos — continua sendo uma realidade.

Em vez de meramente desejar paz, podemos transmiti-la — não "como a dá o mundo", mas com a profunda convicção da presença todo-abrangente de Deus.

TENHA ACESSO A MAIS ARTIGOS TÃO BONS COMO ESTE!

Bem-vindo ao Arauto-Online, o portal dO Arauto da Ciência Cristã. Esperamos que tenha gostado deste artigo que foi partilhado com você.

Para ter acesso total aos Arautos, ative sua conta usando seu número de assinante do Arauto impresso, ou assine JSH-Online ainda hoje!

More in this issue / julho de 1999

A Missão dO Arauto da Ciência Cristã 

“...anunciar a atividade e disponibilidade universal da Verdade...”

Mary Baker Eddy, The First Church of Christ, Scientist, and Miscellany [A Primeira Igreja de Cristo, Cientista, e Outros Textos], p. 353

Conheça melhor O Arauto da Ciência Cristã  e sua missão.