The Herald of Christian Science

Ouvir a voz de Deus traz cura

Da edição de fevereiro de 2017 dO Arauto da Ciência Cristã

Tradução do original em inglês publicado na edição de 29 de agosto de 2016 do Christian Science Sentinel.

Adding Bookmark

Favorito arquivado



Bookmarks Loading
Bookmarks Loading

O que realmente precisamos quando almejamos vivenciar cura e progresso em nossa vida? Será que precisamos que Deus conserte um corpo físico, ou nos dê mais dinheiro, ou mude aquela pessoa de difícil temperamento no trabalho? 

O que realmente necessitamos quando estamos nos empenhando em progredir e procurando desfrutar boa saúde é de um senso claro e inspirado da realidade divina. O que é a realidade divina? É o que Deus conhece a respeito de Sua pessoalidade infinita e perfeita e de Sua criação espiritual perfeita.

Visto que Deus é a Mente divina, Ele criou tudo por meio de Sua sabedoria, mediante a inteligência divina, e Sua criação é o desdobramento de ideias espirituais. A Bíblia declara: “O Senhor com sabedoria fundou a terra, com inteligência estabeleceu os céus” (Provérbios 3:19).

Visto que a Mente é infinita, toda ação no universo consiste do desdobramento das ideias da Mente, as quais abençoam e são abençoadas. Os atributos da Mente incluem misericórdia, justiça, sabedoria e bondade; portanto, as ideias da Mente expressam essas qualidades de maneira natural e abundante.

As soluções aparecem à medida que alcançamos um senso claro da Mente que tudo sabe e ficamos atentos às ideias espirituais que a Mente está continuamente desdobrando para cada um de nós. Como obtemos a capacidade de ouvir e utilizar as ideias espirituais que Deus nos dá? É reconfortante saber que Deus, a Mente divina, criou cada um de nós com a capacidade de ouvir a Deus.

O grande líder hebreu, Moisés, explicou aos israelitas a respeito do relacionamento deles com Deus, ao dizer: “Dos céus te fez ouvir a sua voz, para te ensinar...” (Deuteronômio 4:36). Deus está sempre expressando Suas ideias no homem, revelando a harmonia universal e fazendo com que o homem conheça essa harmonia. Quando nos submetemos à Sua vontade, a do bem imutável, os passos humanos corretos se desdobram em nosso pensamento.

Que função isso desempenha na cura cristã? Cristo Jesus, o mestre sanador cristão, mantinha constantemente um senso claro e inspirado da realidade divina, da Mente e suas ideias. Ele chamava a realidade divina de “reino de Deus” ou de “reino dos céus”. Em suas parábolas, ele descreve metaforicamente esse reino como uma pérola de grande valor, como um tesouro escondido, como uma semente semeada em solo fértil, como o fermento que leveda o pão ou como uma pequena semente de mostarda que, ao crescer, torna-se uma grande árvore que oferece proteção e abrigo às aves. Visto que Deus é a Mente divina, as coisas de grande valor que encontramos em Seu reino podem ser compreendidas como ideias espirituais, aspectos da realidade divina, incluídas no senso espiritual da vida que é o reflexo da Vida divina.

Como isso se relaciona com a ajuda proporcionada por um Praticista da Ciência Cristã? Em oração, o praticista compreende que o paciente é um com a Mente divina que mantém a verdadeira ideia do existir harmonioso. O praticista alcança a percepção dessa unidade por meio da oração específica, ou tratamento, em prol do paciente e, às vezes, ajuda o paciente a discernir essa percepção ao compartilhar ideias espirituais ou verdades contidas na Bíblia e nos escritos de Mary Baker Eddy.

A cura é o resultado natural e inevitável, porque conhecer a realidade espiritual, como Deus a conhece, manifesta-se externamente em frutos que consistem em plenitude e bem-estar.  A Sra. Eddy explica: “Para Deus, conhecer é ser; isto é, o que Ele conhece, deve verdadeira e eternamente existir” (Não e Sim, p. 16). A consciência, ou seja, a percepção e a compreensão a respeito da verdadeira ideia do existir, nos capacita a comprovar e a vivenciar algo do nosso verdadeiro existir em sua harmonia e bondade imortais. 

Como podemos melhorar nossa capacidade de ouvir, apreciar e apreender com compreensão as ideias espirituais da Mente, as quais produzem a cura? Jesus disse: “Bem-aventurados os limpos de coração, porque verão a Deus” (Mateus 5:8). É reconfortante saber que, por sermos o reflexo de Deus, somos naturalmente puros e bons.

Motivos altruístas, a postura mental de sempre ouvir a Deus e o desejo profundo de conhecer e fazer a vontade de Deus, a qual é totalmente boa, nos capacitam a discernir as ideias que emanam da Mente divina. Indispensável, também, é orar diariamente e estar em comunhão com a Mente única. 

No ano passado, passei por uma experiência que para mim ressaltou a importância de ouvirmos a Deus. Certa manhã, quando me curvei para fazer uma tarefa doméstica, senti forte dor nas costas e que ia desmaiar. Comecei a orar para dissipar o medo e mal consegui chegar ao telefone para ligar para um Praticista da Ciência Cristã. Disse-lhe que eu não conseguia me mover nem fazer nada, e a resposta dele foi: “Você pode ouvir a Deus”?

Senti que esse era um chamado para que eu mentalmente desviasse o olhar do corpo e ouvisse somente as ideias que vinham a mim diretamente de Deus, e foi isso que fiz. Ideias sanadoras, fundamentadas em meu estudo da Ciência Cristã, se desdobraram em meu pensamento. A dor diminuiu consideravelmente e continuei a ouvir a Deus, atenta àquilo que eu precisava saber.

A certa altura, ouvi claramente em meu pensamento que eu podia deixar de lado um pesado senso de responsabilidade a respeito de determinadas coisas que eu precisava fazer, e saber que sou simplesmente o reflexo de Deus. O dia transcorreu e eu me senti muito melhor, de forma que agradeci ao praticista por suas orações. Dentro de uma semana, os últimos sintomas desapareceram e naquele inverno eu removi com pá muita neve acumulada em volta da minha casa, sem nenhum problema. 

Em outra ocasião, aprendi sobre a importância de estar receptivo para ouvir as ideias necessárias, mesmo que elas sejam completamente diferentes daquilo que eu espero. Uma parede de tijolos em minha casa precisava ser reconstruída, mas eu não conseguia encontrar um pedreiro disponível, aparentemente devido à escassez de pedreiros qualificados em minha cidade. Orei durante algumas semanas a respeito da ideia espiritual de lar e dos recursos abundantes do Amor divino.

Certo dia, de repente me dei conta de que eu não havia obtido uma autorização municipal para realizar aquele trabalho. Quando percebi isso, as coisas avançaram. Veio-me a ideia de ligar para uma pessoa conhecida, que inspecionava casas, e lhe pedir que me recomendasse uma empresa especializada em construção em alvenaria.

Liguei para a firma que ele me recomendou, e o presidente veio rapidamente me dar um orçamento. Ele me disse que podia começar o trabalho em dois dias. Levei o orçamento para o escritório de licenças e obtive a autorização no mesmo dia, embora me tivessem dito que levaria uma semana para eu adquiri-la. Dois dias depois, a empresa de construção veio para erguer uma nova e bela parede. 

A Mente divina está continuamente expressando as ideias corretas ao desdobrar seu plano, o do bem infinito. A Bíblia nos assegura que: “O Senhor dá a sabedoria, e da sua boca vem a inteligência e o entendimento” (Provérbios 2:6). À medida que, mediante a oração, nosso pensamento vai cedendo à Mente única, encontramos ideias divinamente inspiradas que trazem cura e progresso para todos.

Tradução do original em inglês publicado na edição de 29 de agosto de 2016 do Christian Science Sentinel.

TENHA ACESSO A MAIS ARTIGOS TÃO BONS COMO ESTE!

Bem-vindo ao Arauto-Online, o portal dO Arauto da Ciência Cristã. Esperamos que tenha gostado deste artigo que foi partilhado com você.

Para ter acesso total aos Arautos, ative sua conta usando seu número de assinante do Arauto impresso, ou assine JSH-Online ainda hoje!