The Herald of Christian Science
Original para a Internet

A abundância do bem

Da edição de março de 2017 dO Arauto da Ciência Cristã

Publicado anteriormente como um original para a Internet em 21 de janeiro de 2016.

Original em espanhol

Adding Bookmark

Favorito arquivado



Bookmarks Loading
Bookmarks Loading

“...o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio. Contra estas coisas não há lei” (Gálatas 5:22-23). Os abundantes frutos e bênçãos do Espírito produzem bem-estar e se constituem naquilo que realmente nos enriquece. 

O mundo em geral crê que a abundância significa ter muitas coisas, tais como: propriedades, bons empregos, dinheiro no banco, em resumo, que a abundância seja o acúmulo de bens materiais. Todavia, lemos na Bíblia: “Na plenitude de sua abastança, ver-se-á angustiado...” (Jó 20:22). Quantas vezes vimos isso acontecer em nossa vida! Podemos pensar que temos tudo, mas a verdade é que nos falta o mais essencial e de que mais necessitamos: um reconhecimento da abundância do bem que provém de compreendermos melhor a Deus e o homem.

Tenho comprovado em minha própria experiência que, quando deixo de lado a confiança errônea em bens materiais, nas soluções humanas e materiais, e confio somente em Deus, nada me falta. Aquilo de que se necessita se manifesta de forma a atender instantaneamente àquilo que parece estar faltando, porque a provisão ilimitada de Deus está sempre ativa, suprindo aquilo que parece faltar, curando o que necessita ser restaurado, consolando o aflito e o solitário, trazendo paz ao coração angustiado. As riquezas materiais e perecíveis, por outro lado, estão aqui hoje, mas talvez faltem amanhã, pois não têm uma base firme; nelas não há verdadeira substância espiritual nem realidade.

A abundância divina do bem está sempre ao alcance de todo aquele que espera em Deus com absoluta confiança.

Que diferença faz depositar nossa confiança na abundância divina, imperecível, ativa e permanente do bem, que nunca cessa de fluir, que se revela instantaneamente, é eficaz em todas as circunstâncias e necessidades e se aplica de maneira ilimitada a toda situação que possa surgir.

Ao deixarmos de lado a confiança equivocada que perece, tomamos consciência de que a Mente divina está constantemente desdobrando o bem e, assim, nos elevamos espiritualmente da maneira como Mary Baker Eddy descreve: “O elevar-se acima da evidência falsa até a evidência verdadeira da Vida, é a ressurreição que se apropria da Verdade eterna” (A Unidade do Bem, p. 61). Esse progresso espiritual nos permite confiar na bondade infalível de Deus.

Devemos preservar nossa fé em Deus e seguir o conselho de Cristo Jesus, o de que devemos alcançar uma compreensão espiritual mais profunda e duradoura. O Mestre disse: “O espírito é o que vivifica; a carne para nada aproveita; as palavras que eu vos tenho dito são espírito e são vida” (João 6:63).

A abundância está, em realidade, fundamentada na compreensão espiritual, que não necessita acumular bens, pois sua riqueza está na confiança, paciência, tolerância, bondade, humildade, fidelidade, honestidade, generosidade, integridade, e essas qualidades têm sua base em Deus. Quando vivemos essas qualidades, possuímos bens que estão presentes de forma permanente e que não se manifestam nem antes nem depois que deles necessitamos, mas no momento correto e oportuno, porque a abundância divina do bem está sempre ao alcance de todo aquele que espera em Deus com absoluta confiança.

Publicado anteriormente como um original para a Internet em 21 de janeiro de 2016.

Original em espanhol

TENHA ACESSO A MAIS ARTIGOS TÃO BONS COMO ESTE!

Bem-vindo ao Arauto-Online, o portal dO Arauto da Ciência Cristã. Esperamos que tenha gostado deste artigo que foi partilhado com você.

Para ter acesso total aos Arautos, ative sua conta usando seu número de assinante do Arauto impresso, ou assine JSH-Online ainda hoje!