Skip to main content
Original para a Internet

Será que a Verdade está morta?

Da edição de maio de 2018 dO Arauto da Ciência Cristã


“A pergunta: ‘Que é a Verdade?’ convulsiona o mundo”, escreveu Mary Baker Eddy, a fundadora desta revista, que observava o mundo com muita perspicácia (Ciência e Saúde com a Chave das Escrituras, p. 223). A atual turbulência em muitas partes do mundo certamente corrobora essa afirmação que ela fez.

Às vezes há esforços para obscurecer a verdade, como quando são divulgadas notícias falsas. É importante saber discernir a veracidade do que lemos — separar o que é fato e o que é ficção. Para isso, eu encontro ajuda na Ciência Cristã, que nos dá um entendimento mais profundo a respeito de Deus como a Verdade divina. Aquilo que podemos chamar de “verdade verdadeira” expressa a bondade, a ordem e o amor de Deus. O que quer que cause divisão, obscurecimento ou confusão — tais como ódio ou violência — não faz parte da Verdade nem é justificado por ela. Deus, que é também o Amor, não pode jamais incutir no coração de alguém algo que seja o oposto da própria natureza do Amor.

O anseio por conhecer a verdade é perene no coração humano, e esse é o fio condutor ao longo da Bíblia. O entendimento que Cristo Jesus tinha a respeito da Verdade divina não só o habilitou a demonstrar o poder de Deus de realmente curar os enfermos, mas também fez com que ele enfrentasse sem temor o orgulho e a corrupção. Diante da total injustiça de sua crucificação, Jesus declarou à autoridade que iria sentenciá-lo: “...Eu para isso nasci e para isso vim ao mundo, a fim de dar testemunho da verdade. Todo aquele que é da verdade ouve a minha voz” (João 18:37). E ele demostrou a profundidade da verdade espiritual da qual dava testemunho, agindo poderosamente ao reformar pecadores e realizar curas.

O entendimento que Cristo Jesus tinha a respeito da Verdade divina fez com que ele enfrentasse sem temor o orgulho e a corrupção.

À proporção que eu entendo melhor a verdade espiritual que está por trás da vida e dos ensinamentos de Jesus, vejo resultados em minha própria vida. Consigo discernir com mais presteza o que vem da Verdade e o que não vem dela e começo a ver resultados harmoniosos diante de pequenas situações que envolvem corrupção.

Certa vez, um grupo de funcionários da prefeitura se envolveu em irregularidades que afetaram não somente a região em que moro, mas também a região vizinha. Ao tomar conhecimento disso, comecei a orar.

Minhas orações me ajudaram a reconhecer pelo menos duas coisas: primeiro, que cada indivíduo envolvido era na realidade a criação espiritual de Deus, a Verdade e, portanto, a honestidade era natural neles todos. Já constatei que manter em mente essa honestidade inata a todas as pessoas é uma influência espiritual que corrige a má conduta e a desonestidade. Ela prepara o caminho para a reforma moral onde for necessária. Segundo, sei que o desejo de fazer o que é certo recebe ajuda divina.

Logo foram feitas mudanças importantes com melhoras para o departamento envolvido. Além disso, foi feito um acordo que resolveu pacificamente a situação com a região vizinha.

Sei que eu não fui a única a orar e trabalhar para resolver essa situação, mas também estou certa de que a oração contribuiu para as decisões que nos levaram à correção do problema — porque tenho visto, ao longo dos anos, como Deus pode nos guiar para a solução de qualquer problema.

A Verdade divina está sempre presente para você, para mim e para todos, para qualquer país em que estejamos, por mais negra e confusa que a situação possa parecer. Como o livro Ciência e Saúde explica: "A voz inaudível da Verdade é para a mente humana como quando ‘ruge um leão’. É ouvida no deserto e nos lugares escuros do medo” (p. 559).

Essa realidade espiritual pode inspirar nossas orações pela família, pelas comunidades, países e o mundo.

A Ciência Cristã exige que o homem exerça o domínio sobre as propensões —
que ponha freio ao ódio por meio da bondade, que vença a luxúria por meio
da castidade, substitua a vingança pela misericórdia e derrote a mentira mediante a honestidade.

Mary Baker Eddy, Ciência e Saúde com a Chave das Escrituras, p. 405

TENHA ACESSO A MAIS ARTIGOS TÃO BONS COMO ESTE!

Bem-vindo ao Arauto-Online, o portal dO Arauto da Ciência Cristã. Esperamos que tenha gostado deste artigo que foi partilhado com você.

Para ter acesso total aos Arautos, ative sua conta usando seu número de assinante do Arauto impresso, ou assine JSH-Online ainda hoje!

More in this issue / maio de 2018

A Missão dO Arauto

Quando Mary Baker Eddy estabeleceu o Arauto em 1903, ela disse que sua missão era a de "anunciar a atividade e a disponibilidade universal da Verdade" (The First Church of Christ, Scientist, and Miscellany, p. 353).

O Arauto registra, em suas páginas, a transformação que ocorre na vida de muita gente e mostra que cada um de nós pode chegar à Verdade.

Que alegria pensar que o efeito da Verdade atua na consciência humana, trazendo cura e renovação! Nosso Mestre, Cristo Jesus, nos prometeu algo que de fato está se cumprindo: "E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará" (João 8:32).

Cyril Rakhmanoff, O Arauto da Ciência Cristã, edição de julho de 1998
Conheça melhor O Arauto e sua missão.