Skip to main content Skip to search Skip to header Skip to footer
Original para a Internet

Colocar em prática a parábola da rede

DO Arauto da Ciência Cristã. Publicado on-line – 20 de setembro de 2021


Ao participar recentemente de um grupo de estudo bíblico, fiz uma análise mais profunda sobre a parábola de Jesus que afirma que “o reino dos céus é semelhante a uma rede que, lançada ao mar, recolhe peixes de toda espécie. E, quando já está cheia, os pescadores arrastam-na para a praia e, assentados, escolhem os bons para os cestos e os ruins deitam fora” (Mateus 13:47, 48).

Isso me fez pensar a respeito do que eu estivera fazendo ultimamente — trazendo à tona antigas lembranças e fazendo uma seleção: as boas e espiritualmente fundamentadas para serem mantidas, e as dolorosas, mortais, para serem descartadas. Estudar essa parábola me ajudou a compreender melhor a orientação de Mary Baker Eddy, quando diz: “Monta guarda à porta do pensamento. Admitindo somente aquelas conclusões cujos resultados desejas ver concretizados no corpo, tu te governas harmoniosamente” (Ciência e Saúde com a Chave das Escrituras, p. 392). Separar meus pensamentos de modo que os únicos a serem aceitos são aqueles que elevam, purificam e ajudam os outros, bem como a mim mesmo, enquanto rejeito o medo, a raiva, a vingança, o ódio, o ciúme e outros pensamentos mortais, classificando-os como indignos, libera espaço para outros bons pensamentos e me ajuda a ver o caminho a ser seguido em minha jornada espiritual.

Por exemplo, eu estivera cultivando pensamentos de raiva em relação a uma mulher que contara à minha esposa mentiras a meu respeito. Ficar lembrando isso acabou com minha alegria. Eu precisava perdoar, não apenas essa pessoa, por mentir a meu respeito, mas também minha esposa, por ter inicialmente acreditado nas mentiras. Nutri esse sentimento de raiva por um bom tempo. Mas depois de estudar com mais profundidade a parábola da rede, eu trouxe essas lembranças à superfície e consegui negar que fossem verdadeiras ou que pudessem exercer alguma influência sobre mim. Em vez disso, aceitei como real a lei divina da paz e da harmonia, e em seguida a paz e a harmonia foram restabelecidas no meu dia a dia e em nosso lar, e desapareceu toda a raiva que acompanhava essa lembrança.

Com meu estudo da Ciência Cristã, estou juntando um belo tesouro que traz paz e compreensão, e desse tesouro vem a capacidade de compartilhar dons espirituais com outras pessoas.

TENHA ACESSO A MAIS ARTIGOS TÃO BONS COMO ESTE!

Bem-vindo ao Arauto-Online, o portal dO Arauto da Ciência Cristã. Esperamos que tenha gostado deste artigo que foi partilhado com você.

Para ter acesso total aos Arautos, ative sua conta usando seu número de assinante do Arauto impresso, ou assine JSH-Online ainda hoje!

More web articles

A Missão dO Arauto

“...para anunciar a atividade e disponibilidade universal da Verdade...”

— Mary Baker Eddy, The First Church of Christ, Scientist, and Miscellany p. 353 [A Primeira Igreja de Cristo, Cientista, e Outros Textos]

Conheça melhor O Arauto e sua missão.