Skip to main content
Original para a Internet

Uma lei que pode desafiar a injustiça

Da edição de setembro de 2017 dO Arauto da Ciência Cristã

Publicado anteriormente como um original para a Internet em 3 de julho de 2017.
Tradução do original em inglês publicado na edição de 6 de fevereiro de 2017 do Christian Science Sentinel.

Adding Bookmark

Favorito arquivado



Bookmarks Loading
Bookmarks Loading

“Isso é não é justo!” Foi assim que reagi quando soube que minha faculdade iria me cobrar por danos que eu não havia causado. Sem dúvida muitos de nós nos sentimos lesados quando isso ocorreu, e tivemos compaixão das outras pessoas que estavam recebendo esse tratamento infundado. 

Cada um de nós pode contribuir com nossa parte ao apoiar para que se estabeleça uma forma de pensar e uma atividade que estejam fundamentadas em princípios. “Todos são chamados a tomar a liderança, onde quer que estejam”, afirmou o antigo promotor público sul-africano, Thuli Madonsela. “Essa liderança tem de se aplicar em primeiro lugar a nós mesmos.”

Um importante ponto de partida é decidir apoiar, em nosso próprio pensamento e em nossa vida, as leis vigentes. E acima disso, também aprendi na Ciência Cristã a respeito da lei divina, que é estável, duradoura e absoluta. Volver-nos a Deus traz a compreensão acerca quanto a essa lei mais elevada.

“A lei do Senhor é perfeita”, os Salmos nos asseguram (19:7). A lei perfeita de Deus governa o universo verdadeiro, espiritual. Essa lei nunca pode flutuar ou ser violada, porque Deus é supremo. Ela nunca pode excluir ninguém, porque todos nós somos a amada criação espiritual de Deus. Mesmo quando parece que algo diferente predomina, a oração nos capacita a perceber a evidência da supremacia da lei de Deus e a compreender que a injustiça não tem nenhuma capacidade para permanecer presente. 

Ainda há mais: Essa lei constante, que abrange tudo, é a lei do próprio Amor divino. Essa lei é misericordiosa e justa, ela sustenta a alegria e a harmonia. Na verdade, as obras de cura de Cristo Jesus mostram que tudo o que não é bom, tudo o que não manifesta amor, ou que não esteja fundamentado em princípios, nunca pode fazer parte da realidade espiritual. Mary Baker Eddy escreve: “A lei de Deus está em três palavras: ‘Eu sou Tudo’; e essa lei perfeita está sempre presente para repreender qualquer pretensão de que exista alguma outra lei” (Não e Sim, p. 30).

As obras de cura de Cristo Jesus mostram que tudo o que não é bom, tudo o que não manifesta amor, ou que não esteja fundamentado em princípios, nunca pode fazer parte da realidade espiritual.

Essas ideias me trazem de volta ao problema dos danos no prédio da faculdade. Os estragos tinham sido causados durante uma festa realizada por outro grupo, no saguão da ala onde eu morava. Ninguém conseguira descobrir quem havia causado os estragos. Por isso, os custos deveriam ser divididos entre os residentes daquela ala. Fiquei indignada, muito embora eu compreendesse a razão pela qual esse regulamento existia. Eu pretendia cumprir com o regulamento, mas simplesmente não parecia certo que tantos estudantes inocentes incorressem nessa despesa. Então, voltei-me para Deus em oração.

Eu não estava pedindo que Deus me livrasse do pagamento. Eu estava em busca de uma visão mais espiritual a respeito das coisas. Mesmo que nem sempre assim pareça, nós sempre podemos confiar no fato de que os filhos de Deus estão sujeitos somente ao bem, estão sempre sob o governo de Deus, onde o bem reina supremo.

À medida que orava, meu sentimento de raiva foi substituído por uma sensação de calma, e me senti reconfortada por saber que a lei de Deus está eternamente sendo cumprida, de que não existe nenhuma vítima no reino de Deus. 

Logo depois disso, os responsáveis pelos danos foram inesperadamente identificados. Afinal, não se cobraria nada dos que moravam naquela ala residencial do prédio! Eu estava agradecida por aqueles que haviam trabalhado para resolver a situação, e também por uma compreensão mais clara da lei de Deus.

O empenho sincero para ver que cada um de nós está sujeito à lei divina nos inspira a pensar e a agir, a “tomar a liderança...”, de uma maneira que esteja de acordo com a lei do bem, a lei de Deus. E isso pode abrir a porta para se comprovar que a lei de Deus combate as injustiças, aqui e agora.

Publicado anteriormente como um original para a Internet em 3 de julho de 2017.
Tradução do original em inglês publicado na edição de 6 de fevereiro de 2017 do Christian Science Sentinel.

TENHA ACESSO A MAIS ARTIGOS TÃO BONS COMO ESTE!

Bem-vindo ao Arauto-Online, o portal dO Arauto da Ciência Cristã. Esperamos que tenha gostado deste artigo que foi partilhado com você.

Para ter acesso total aos Arautos, ative sua conta usando seu número de assinante do Arauto impresso, ou assine JSH-Online ainda hoje!


A Missão dO Arauto

Em 1903, Mary Baker Eddy estabeleceu O Arauto da Ciência Cristã. Seu propósito: "...para anunciar a atividade e disponibilidade universal da Verdade". A definição de “arauto”, conforme consta de um dicionário: “precursor, um mensageiro enviado com antecedência para anunciar a proximidade daquilo que está por vir”, proporciona um significado especial ao nome Arauto, além de destacar a obrigação de cada um de nós, a de nos certificarmos de que nossos Arautos cumpram sua incumbência, uma incumbência que é inseparável do Cristo e que foi anunciada primeiramente por Jesus (Marcos 16:15), “Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura”.

Mary Sands Lee, Christian Science Sentinel, 7 de julho de 1956

Conheça melhor O Arauto e sua missão.