Skip to main content Skip to search Skip to header Skip to footer
Original para a Internet

Fechar a porta às influências negativas

Da edição de fevereiro de 2022 dO Arauto da Ciência Cristã

Publicado anteriormente como um original para a Internet em 18 de outubro de 2021.


Um dia, minha campainha tocou e um estranho tentou me vender algo. Como ficou evidente que se tratava de um golpe, foi muito fácil dizer: “Não, obrigada”, e fechar a porta. Voltei para a sala e sentei-me para me relaxar. 

Justo nesse momento, notificações começaram a pipocar no meu celular, exibindo manchetes e notícias sensacionalistas. Embora eu goste de me manter informada, lendo o noticiário no meu telefone, daquela vez pareceu algo intrusivo, quase como um ataque. Momentos antes, fechar a porta para a ideia de cair em um golpe havia sido para mim a coisa óbvia a fazer, mas quando voltei para dentro de casa e tanto literal quanto mentalmente me acomodei e estiquei as pernas para descansar, não foi tão fácil bloquear aquelas perturbações mais sutis. 

Desvendando ideias encontradas na Bíblia, a Ciência Cristã ensina que Deus é bom e é Tudo-em-tudo, e que a Vida é Deus e não pode ser dividida em algo bom e algo mau, pois Deus fez tudo “muito bom” (ver Gênesis 1:31).

Percebi que, não importa o quão ofensiva seja uma sugestão, sutil ou não, podemos nos volver a Deus em oração para que Ele revele a verdade sobre a Vida. Assim encontramos proteção, paz e lucidez. A oração proporciona alívio, e até mesmo a cura, diante de qualquer sugestão de que o mal seja tão real, legítimo e poderoso quanto o bem. Não se trata de ser desinformado ou alhear-se ou ser indiferente ao que se passa no mundo exterior. Trata-se de estarmos preparados para vencer e não ser pegos de surpresa por enganos ou distrações, pois podemos superá-los ao aceitar e compreender a realidade espiritual. 

Um estudo diz que um celular nos Estados Unidos pode receber cerca de cinquenta notificações por dia, sem incluir postagens ou imagens vistas enquanto rolamos a telinha entre as notícias. Essas mensagens mesméricas, aliadas a certos programas de TV, séries transmitidas online, letras de músicas, pesquisas na Internet e videogames, podem parecer às vezes como uma enxurrada de sugestões intrusivas e até viciantes, promovendo a perspectiva de que a vida é uma mistura do bem e do mal. Mas voltando-nos para Deus e deixando a Mente divina governar nosso pensamento e ações, estaremos alertas quanto a tudo o que pesaria contra nosso crescimento espiritual. Mesmo que sugestões sutis pareçam haver se alojado em nosso pensamento, podem ser enfrentadas e eliminadas por meio da oração.

Referindo-se à oração, Cristo Jesus nos lembra de entrar em nosso “quarto” (ver Mateus 6:6). Mas não para por aí. Ele nos diz para fechar a porta. No capítulo “A oração”, em sua obra principal, Ciência e Saúde com a Chave das Escrituras, Mary Baker Eddy escreve: “O quarto simboliza o santuário do Espírito, cuja porta se fecha ao senso pecaminoso, mas deixa entrar a Verdade, a Vida e o Amor. Fechada ao erro, está aberta à Verdade e vice-versa” (p. 15). Mais adiante, no mesmo livro, a Sra. Eddy nos instrui ainda: “Monta guarda à porta do pensamento” (p. 392). 

O amor de Deus por nós revela que é falsa qualquer sugestão de que nossa vida possa ser separada de Deus.

É importante prestar atenção a quais são os pensamentos que estamos abrigando. Necessitamos abrir a porta de nosso lar mental, ou consciência, para pensamentos verdadeiros e amorosos vindos de Deus, e fechar a porta às sugestões destrutivas, que provocam divisões e desvio da atenção, alegando que não existe Deus ou que a vida é irremediavelmente sem esperança e não há soluções. Ao agir desse modo, estamos seguindo o conselho de Paulo, “…anulando nós sofismas e toda altivez que se levante contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo pensamento à obediência de Cristo…” (2 Coríntios 10:4, 5).  

Às vezes parece que não podemos controlar as sugestões negativas que batem com insistência à porta do pensamento. Ao orar a esse respeito, não me sinto tentada a resolver as situações humanamente. É o Cristo, o poder curativo do Amor divino, a voz de Deus na consciência humana, que nos mostra o caminho a seguir. Podemos permanecer obedientes e alertas, voltando-nos para Deus ao longo do dia. A oração nos leva a compreender que o homem é uno com Deus, o qual é em realidade nossa única Vida e Mente. Assim, deixamos o amor de Deus preencher nosso pensamento, eliminando todas as impurezas. 

Essa oração não apenas nos beneficia, mas abençoa a todos. Quando motivada pelo amor à humanidade, a oração é uma ação cuja abrangência é sentida pelo mundo inteiro. 

Ao permitir que Deus me mostre como montar guarda à porta do meu pensamento, tenho um senso de domínio, em vez de uma sensação de estar sendo invadida por problemas mortais. Às vezes eu só me pergunto: “Isso eleva a mim e aos outros?” Lemos em Ciência e Saúde: “Nunca respires uma atmosfera imoral, a não ser na tentativa de purificá-la” (p. 452). Isso não só tem me ajudado a decidir o que fazer e para onde ir, mas também a verificar o que estou acrescentando à atmosfera do pensamento coletivo. 

Embora não houvesse TV ou smartphones na época da Sra. Eddy, ela fez um comentário que se aplica ao entretenimento e às notícias sensacionalistas de sua época: “As novelas, que são notáveis apenas por suas imagens exageradas, por suas aspirações impossíveis e por seus exemplos de depravação, transmitem aos nossos jovens leitores gostos e sentimentos deturpados. O mercantilismo literário está rebaixando o padrão intelectual em troca de lucro e para satisfazer a frívola exigência de divertimento, em vez de promover o aprimoramento. Pontos de vista incorretos rebaixam o padrão da verdade” (Ciência e Saúde, p. 195).

Priorizar o “aprimoramento” em vez de ceder a “uma demanda frívola por diversão” não significa que não gostamos da tecnologia ou do entretenimento, nem que nos consideramos superiores ou somos dogmáticos com relação a certas atividades. Trata-se de sermos inspirados e desenvolvermos nosso senso espiritual, que é o que nos ajuda a compreender a Deus. Quando fechamos firmemente nossa porta mental a qualquer crença de que Deus, o bem, não seja tudo, elementos como notificações, mensagens de texto, letras negativas de algumas canções, certos passatempos etc., não têm poder para nos afetar ou para perturbar a harmonia de nossa vida. Nós também naturalmente tomamos decisões mais produtivas. Não se trata de sermos ingênuos, mas ao contrário — de permanecermos espiritualmente despertos e alertas. 

Não importa o que esteja sendo lançado sobre nós, todos podemos confiar em Deus para nos mostrar o que é verdade e o que não é. O amor de Deus por nós revela que é falsa qualquer sugestão de que nossa vida possa ser separada de Deus. Quando entramos em nosso quarto e abrimos a porta para a verdade de que Deus é a única realidade, torna-se natural que falsas influências pareçam mais óbvias e também que desapareçam. Podemos até começar a encontrar cada vez menos sugestões negativas batendo à nossa porta! Como a Sra. Eddy escreve: “Deus é o Espírito, por isso, na proporção em que avançamos espiritualmente o mal fica mais óbvio e repugnante até desaparecer de nossa vida” (Ciência e Saúde, p. 207).

Vivemos na consciência de Deus, nosso único lar real, por isso é divinamente natural sentirmos apenas a liberdade, a alegria, a paz e o domínio, ao compreendermos que Deus é Tudo.

TENHA ACESSO A MAIS ARTIGOS TÃO BONS COMO ESTE!

Bem-vindo ao Arauto-Online, o portal dO Arauto da Ciência Cristã. Esperamos que tenha gostado deste artigo que foi partilhado com você.

Para ter acesso total aos Arautos, ative sua conta usando seu número de assinante do Arauto impresso, ou assine JSH-Online ainda hoje!

More in this issue / fevereiro de 2022

A Missão dO Arauto da Ciência Cristã 

“...anunciar a atividade e disponibilidade universal da Verdade...”

Mary Baker Eddy, The First Church of Christ, Scientist, and Miscellany [A Primeira Igreja de Cristo, Cientista, e Outros Textos], p. 353

Conheça melhor O Arauto da Ciência Cristã  e sua missão.