Skip to main content Skip to search Skip to header Skip to footer
Original para a Internet

Para jovens

Como posso parar de me sentir como se eu não fosse ninguém?

DO Arauto da Ciência Cristã. Publicado on-line – 11 de outubro de 2021


P: Como posso parar de me sentir como se eu não fosse ninguém?

R: Eu me sentia como se eu não fosse ninguém no meu emprego. Quando compartilhava uma ideia, parecia que nem me ouviam — como se meus pensamentos e opiniões não tivessem importância. Como se ninguém ligasse para mim.

Eu era a mais jovem, e os outros me pareciam mais inteligentes, mais experientes, e com um senso de humor melhor que o meu. Eu achava que todos eram melhores do que eu, e eu até ficava imaginando que eles riam de mim, pelas costas.

Fazia alguns anos que eu vinha estudando a Ciência Cristã — um amigo me apresentou a essa religião quando eu estava no ensino médio — e assim eu havia aprendido que, por meio da oração, eu podia enfrentar qualquer situação ou pensamento que me fizesse sentir mal comigo mesma. Não que eu estivesse orando para me tornar tão boa quanto todas as outras pessoas, mas pensei que, voltando-me para os livros que sempre me ajudavam — a Bíblia e as obras de Mary Baker Eddy — eu poderia ter uma percepção mais espiritual das minhas circunstâncias. E assim, no mínimo, eu conseguiria me sentir um pouco melhor.

Estas palavras da Sra. Eddy realmente me ajudaram. Ela escreveu: “Cada um tem de ocupar seu próprio nicho no tempo e na eternidade” (Retrospecção e Introspecção, p. 70). Esse “nicho” é uma posição ou atuação especial na qual podemos desfrutar de nossos interesses e talentos únicos e compartilhá-los. Por isso, senti-me encorajada, pois eu sabia que a Sra. Eddy falava por experiência própria.

Durante a vida, ela fora repetidamente rejeitada ou ignorada, não só porque era mulher, divorciada, e algumas vezes não tinha onde morar, mas também devido a suas ideias. Lendo a Bíblia, ela começou a perceber toda a realidade de maneira diferente. A Sra. Eddy constatou que, o que é real e verdadeiro a respeito de cada um de nós, é que não somos meros seres humanos, com limitações e falhas. Somos a própria semelhança ou expressão de Deus — a semelhança de tudo o que é bom.

A Sra. Eddy finalmente escreveu um livro, agora famoso, chamado Ciência e Saúde com a Chave das Escrituras; curou centenas de pessoas; ensinou a cura cristã; e fundou uma igreja mundial, vários periódicos, e um jornal diário internacional. Ela compreendeu e demonstrou que todos são “alguém” no universo de Deus, o Amor divino. Nós somos as próprias ideias do Amor! Cada um de nós tem algo especial a oferecer. O que nos identifica e estabelece nosso valor imutável é o nosso reflexo muito especial das qualidades espirituais.

Acredite ou não, pensar na matemática também foi uma grande ajuda para mim. Suponhamos que alguém dissesse ao número quatro: “Você é insignificante. Você não tem importância alguma. Vamos simplesmente jogá-lo fora do sistema inteiro”. O que aconteceria? Todo o sistema entraria em colapso sem o número quatro. Compreendemos assim o quão essencial é cada número.

Da mesma forma, cada uma das ideias de Deus é necessária para tornar toda a Sua criação completa, inteira. Todo o universo de Deus entraria em colapso sem você ou sem mim. Percebemos assim o quão necessário cada um de nós é.

Deve ter sido por isso que Jesus reconhecia o valor de cada pessoa, incluindo aqueles que eram oprimidos, menosprezados, rejeitados e maltratados. Sua compreensão de que todos são filhos ou filhas de Deus ajudou aqueles que pensavam que não eram ninguém a se verem de maneira diferente. Jesus até tomou iniciativas especiais para se aproximar dos samaritanos e comer com eles, que muitas vezes eram tratados de modo desrespeitoso e considerados como se não fossem ninguém.

Reconhecer-me como uma ideia espiritual valorizada, distinta e existente no Amor — e não como se eu fosse mortal, limitada pela idade, personalidade e circunstâncias humanas — foi um ponto de virada para mim. Comecei a compreender que o Amor divino, meu Pai-Mãe, conhece a mim e a todos, se deleita em todos nós, e nos aprova. Sou feita das qualidades do Amor, que existem para ser compartilhadas.

Compreendi que, embora meus colegas fossem brilhantes, eu trazia amor, gentileza e alegria ao nosso escritório. E comecei a ver que as qualidades brilhantes que eu admirava em meus companheiros vinham também de Deus, que é a fonte do bem para todos, portanto, não havia nada para invejar, nem havia motivo para eu me sentir intimidada. Desde aquela manhã em que compreendi esse fato, nunca mais achei que eu tinha de competir com alguém. E meus colegas começaram a aceitar minhas ideias e a gostar de mim. Conseguimos trabalhar juntos com respeito mútuo.

Essa experiência me convenceu de que ser “alguém” não é ter um conjunto especial de habilidades ou ser mais do que todos os outros. O valor que você tem, o meu valor, o valor de todos, já é um fato estabelecido, porque Deus nos fez para expressar todas as Suas qualidades maravilhosas. E é por isso que todos somos alguém — e disso podemos ter certeza.

More web articles

A Missão dO Arauto

“...para anunciar a atividade e disponibilidade universal da Verdade...”

— Mary Baker Eddy, The First Church of Christ, Scientist, and Miscellany p. 353 [A Primeira Igreja de Cristo, Cientista, e Outros Textos]

Conheça melhor O Arauto e sua missão.