Skip to main content
Original para a Internet

O que a autora achava das revisões de Ciência e Saúde

DO Arauto da Ciência Cristã . Publicado on-line – 14 de junho de 2019


Dizer a verdade ajuda a destruir uma mentira mais depressa do que deixá-la passar sem dizer nada (Mary Baker Eddy, The First Church of Christ, Scientist, and Miscellany, [A Primeira Igreja de Cristo, Cientista e Vários Escritos], p. 130).

Se alguém dissesse que Mary Baker Eddy tencionava dissolver a Igreja a que ela dedicara toda a vida para estabelecer, sem dúvida alguma você não acreditaria. Mas se dissessem que ela deliberadamente incluiu algumas cláusulas no Manual dA Igreja Mãe sobre esse tema, você talvez ficasse pensando. No entanto, os fatos verdadeiros sendo claramente declarados, a desonestidade desse argumento ficaria posta a descoberto.  

Se você lesse essa informação abertamente disponível, (por exemplo em Permanency of The Mother Church and its Manual[O caráter permanente dA Igreja Mae],Boston: The Christian Science Publishing Society, 1985, ou “A Church designed to last” [Uma Igreja estabelecida para durar], The Christian Science Journal, Vol. 100, 1982), bastariavocê acessar esse material para poder ver como essa mentira fica desmascarada. Você veria que não era a Fundadora da Igreja que desejava dissolvê-la, mas sim o indivíduo que inventou essa mentira! Graças à oração vigilante, à atenção redobrada e à declaração da verdade, em anos recentes, essa campanha desleal e mentirosa foi desmascarada e reduzida a nada.

Mas, suponha que alguém diga que a primeira edição de Ciência e Saúde com a Chave das Escrituras, de Mary Baker Eddy, apresenta verdades espirituais de pureza tão surpreendente que propiciam a cura de tal modo que nenhuma das outras edições consegue fazer. Esse alguém diz ainda que aquelas verdades teriam sido suprimidas pela autora nas edições subsequentes, mas que agora o mundo já amadureceu a ponto de poder receber o impacto das ditas verdades de forma direta e sem restrições. Você acreditaria?

Nunca é demais dizer que é necessária a acuidade que vem da compreensão espiritual a respeito do método do mal, a fim de acabar com o emaranhado de meias-verdades ilusórias e falsidades inadmissíveis. Às vezes, pessoas inocentes são levadas por tais enganos, achando que tudo seria melhor se pudéssemos simplesmente voltar aos bons tempos de antes. Pode haver, também, um desejo de se possuir um conhecimento secreto inacessível às demais pessoas. Ou, ainda, alguém pode pensar que as centenas de revisões de Ciência e Saúde poderiam ter embotado o vigor da descoberta original.  

Mas o que é que a própria autora acha disso tudo? Em primeiro lugar, a revisão literária não era seu principal objetivo. O propósito dela era alcançar a mais clara elucidação possível da descoberta espiritual original que fizera. Ela diz: “Revisei Ciência e Saúde somente para dar uma expressão mais clara e mais completa de seu significado original” (Ciência e Saúde, p. 361).

A Sra. Eddy disse também com franqueza que a primeira edição “foi estragada pelo editor, e não deveria estar na mente dos estudantes” (Irving C. Tomlinson, Twelve Years with Mary Baker Eddy [Doze anos com Mary Baker Eddy], Boston: The Christian Science Publishing Society, 1966).

Ela constantemente indicava a mais recente edição, ou a última, de Ciência e Saúde, como sendo o mais eficaz e mais científico professor da cura metafísica. Ela aconselhou: “Não considero que o que escrevi a respeito da Ciência Cristã há uns vinte e cinco anos seja autoridade para o estudante dessa Ciência no dia de hoje. O melhor matemático ainda não chegou à compreensão completa dos princípios dessa ciência, nos estudos e descobertas que fez inicialmente. Por conseguinte, seria lógico aceitar apenas os meus ensinamentos que eu sei serem os corretos e adaptados para a demanda do presente momento” (Miscellany, p. 237).

As revisões que a Sra. Eddy fez de Ciência e Saúde incluíram algumas das lições mais profundas de sua vida. Por meio de experiências dolorosamente difíceis, ela aprendeu que a espiritualização e cristianização são essenciais para aqueles que querem captar a verdade metafísica e praticar a Ciência Cristã. Sem essa educação espiritual, a mente humana poderia supor que estivesse apreendendo a verdade da Mente única e una, ao passo que estaria apenas se contentando consigo mesma e utilizando seu próprio conceito da Mente una e única. Isso deixaria o pecado e a vontade humana sem nenhum controle no estudante novato, e assim sua alegria do começo do reconhecimento espiritual seria rapidamente embotada e destruída.    

O fato é que apenas os anos de minuciosa obediência espiritual, que a autora dedicou às suas revisões, produziram um livro-texto capaz de promover e incrementar a cura pela Ciência Cristã em uma época na qual o materialismo, mais sutilmente do que nunca, procura dominar a consciência humana. Nós temos exatamente o livro-texto de que necessitamos: a edição final. Um livro-texto que ilumina a Bíblia, no qual (nas palavras da própria autora), aqueles “que honestamente procuram a Verdade”, estão constatando que satisfaz as maiores necessidades do gênero humano (Ciência e Saúde, p. xii).

A. W. P.

More web articles

A Missão dO Arauto

Quando Mary Baker Eddy estabeleceu o Arauto em 1903, ela disse que sua missão era a de "anunciar a atividade e a disponibilidade universal da Verdade" (The First Church of Christ, Scientist, and Miscellany, p. 353).

O Arauto registra, em suas páginas, a transformação que ocorre na vida de muita gente e mostra que cada um de nós pode chegar à Verdade.

Que alegria pensar que o efeito da Verdade atua na consciência humana, trazendo cura e renovação! Nosso Mestre, Cristo Jesus, nos prometeu algo que de fato está se cumprindo: "E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará" (João 8:32).

Cyril Rakhmanoff, O Arauto da Ciência Cristã, edição de julho de 1998
Conheça melhor O Arauto e sua missão.