Skip to main content Skip to search Skip to header Skip to footer
Original para a Internet

Para jovens

Como posso encontrar um senso de propósito em minha vida?

DO Arauto da Ciência Cristã. Publicado on-line – 22 de junho de 2020


Como posso encontrar um senso de propósito em minha vida, quando nada importante está acontecendo?

Compreendo como você está se sentindo. Uma vez, eu estava visitando minha família em uma fazenda na África do Sul, muito longe de onde moro. Era um lugar bonito, mas comecei a me sentir à deriva após umas duas semanas, porque eu não sabia o que fazer, além de andar a esmo na fazenda. Tentei ajudar a fazer algumas das tarefas diárias, mas ficou claro que não necessitavam de mim. Eu queria ser útil e encontrar um senso de propósito, mas não sabia como. 

Algo que consegui fazer durante aqueles dias foi me dedicar a um projeto que eu havia planejado, o qual incluía a leitura completa de todas as obras de Mary Baker Eddy já publicadas, além do livro Ciência e Saúde com a Chave das Escrituras. Ao fazer essa leitura, deparei-me com este trecho: “Como parte ativa de um todo estupendo, fazer o bem identifica o homem com o bem universal. Assim, que cada membro desta igreja se eleve acima desta pergunta, que se repete tantas vezes: O que sou eu? e replicar nestas palavras: sou capaz de transmitir verdade, saúde e felicidade; essa é a rocha da minha salvação e a razão da minha existência” (The First Church of Christ, Scientist, and Miscellany [A Primeira Igreja de Cristo, Cientista, e Outros Escritos], p. 165). Essas palavras me chamaram a atenção porque percebi que a capacidade de ser útil, fazendo o bem e sendo bom, era independente de quaisquer circunstâncias. Em vez disso, o bem é a parte central do que cada um de nós realmente é, como a imagem e semelhança de Deus.

Ao orar desse modo, ocorreu-me que, em vez de voltar a pedir a meu primo ou meu tio, donos e gerentes da fazenda, para encontrar algo em que eu pudesse ajudar, eu podia perguntar à minha tia. Ela sabia que gosto muito de cavalos e imediatamente me pôs em contato com um instrutor local que ensinava equitação a crianças com necessidades especiais. Essa foi uma combinação perfeita para todos nós. Pude realmente ser útil, eu caminhava ao lado das crianças enquanto elas aprendiam a cavalgar. Senti-me abençoado por perceber nelas o amor a se expressar nos sorrisos e gratidão pelo progresso que faziam.    

Por meio dessa experiência, pude compreender que meu propósito de vida já estava divinamente estabelecido, e sempre me pertencera, independentemente das circunstâncias; e que junto com esse propósito vinham os meios de expressá-lo. A grande virada aconteceu quando parei de ficar à espera de “algum dia” encontrar uma oportunidade. Em vez disso, prestei atenção a Deus, para que me guiasse rumo à oportunidade que já me havia sido concedida, a qual estava presente desde sempre.  

A existência de nosso propósito inato não tem nada a ver com o que está acontecendo ou não à nossa volta. Ao contrário, ao nos conscientizarmos de nosso propósito dado por Deus, podemos perceber todos os modos de mostrar o quanto Deus é bom, exatamente aqui e agora. Por ser a expressão individualizada do divino bem, seu propósito, sem dúvida, está incluído no que você é. Independentemente de onde você esteja, ou do que esteja acontecendo no mundo, Deus lhe mostrará como encontrar seu propósito hoje. 

More web articles

A Missão dO Arauto

Quando Mary Baker Eddy estabeleceu O Arauto em 1903, ela disse que sua missão era a de "anunciar a atividade e a disponibilidade universal da Verdade" (The First Church of Christ, Scientist, and Miscellany, p. 353).

O Arauto registra, em suas páginas, a transformação que ocorre na vida de muita gente e mostra que cada um de nós pode chegar à Verdade.

Que alegria pensar que o efeito da Verdade atua na consciência humana, trazendo cura e renovação! Nosso Mestre, Cristo Jesus, nos prometeu algo que de fato está se cumprindo: "E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará" (João 8:32).

Cyril Rakhmanoff, O Arauto da Ciência Cristã, edição de julho de 1998
Conheça melhor O Arauto e sua missão.