Skip to main content Skip to search Skip to header Skip to footer
Original para a Internet

Despertar para a oração

DO Arauto da Ciência Cristã. Publicado on-line – 22 de setembro de 2022


Cristo Jesus ensinou a seus seguidores esta maneira de orar: “Tu, porém, quando orares, entra no teu quarto e, fechada a porta, orarás a teu Pai, que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará” (Mateus 6:6). Em seguida, Jesus apresentou a prece que é conhecida pelos cristãos como a Oração do Senhor.

No livro-texto da Ciência Cristã, Mary Baker Eddy, fiel seguidora de Jesus, escreve: “O quarto simboliza o santuário do Espírito, cuja porta se fecha ao senso pecaminoso, mas deixa entrar a Verdade, a Vida e o Amor”. Em seguida ela declara: “A recomendação do Mestre é que oremos em secreto e deixemos que nossa vida ateste nossa sinceridade” (Ciência e Saúde com a Chave das Escrituras, p. 15).

Essa oração tem poder a qualquer momento do dia, mas me dei conta de que a cada manhã, ao despertar, é importante devotar algum tempo especificamente à oração. Antes de tudo. Assim, faço da oração uma prioridade, antes de começar os afazeres da minha lista. Entro em meu quarto mental para estabelecer o dia sobre um fundamento espiritual seguro. Não é de surpreender que, como resultado de silenciosamente voltar-me a Deus logo cedo, meu pensar fique preparado para o desdobramento do bem que vem de Deus, que inclui soluções para circunstâncias problemáticas que possam aparecer durante o dia.

A Sra. Eddy sabia da importância de orarmos por nós mesmos, e enfaticamente exortou seus seguidores para que assim fizessem. Em seu livro Escritos Diversos 18831896, ela escreve algo que considero um “modo de fazer”, uma maneira de agir que seguimos no que se refere à prática da Ciência Cristã: “Uma coisa desejo com fervor e, de novo, peço sinceramente, a saber, que os Cientistas Cristãos, aqui e em toda parte, orem diariamente em favor de si mesmos; não verbalmente, nem de joelhos, mas mentalmente, com humildade e insistência” (p. 127).

Embora eu continue orando, estudando a Bíblia e as obras da Sra. Eddy durante o dia, meu tempo devotado à oração logo de manhã é como um ponto de partida para confiar em minha capacidade, concedida por Deus, de ver o bem e a harmonia em minha prática de cura pela Ciência Cristã.

Mas a oração logo no começo da manhã não tem como base um ritual, não se apoia em um tipo de fórmula, nem é uma simples repetição de palavras otimistas e positivas. As ideias que nos vêm ao pensamento são “mensagens angelicais”, ou seja, são renovadas intuições espirituais vindas diretamente de Deus (ver Ciência e Saúde, p. 581).

O livro Ciência e Saúde nos dá os seguintes sinônimos de Deus, os quais têm base na Bíblia e ajudam a expandir nosso conceito a respeito de Deus: a Vida, a Verdade, o Amor, o Espírito, a Alma, a Mente, o Princípio. Durante o tempo que dedico à oração pela manhã, muitas vezes me detenho a refletir sobre um ou mais desses sinônimos e mantenho-me focada neles como uma base e estrutura metafísicas para a oração, tanto quando oro por mim, quanto quando oro pelos outros.

Certa manhã, escrevi algumas ideias específicas baseadas em conceitos expandidos a respeito de Deus. Eram ideias com base nas leis divinas que eu podia reivindicar, reconhecer e delas estar consciente como a realidade, e que indicavam que eu era perfeitamente una, como uma existência só, com Deus, em união absoluta com Deus. E reconheci que esse existir, que jamais se separa de Deus, é verdadeiro para todos; toda criança, toda mulher e todo homem são criados à semelhança de Deus e expressam e manifestam qualidades espirituais derivadas de Deus.

Senti-me inspirada pela ideia de que, sendo Deus o Espírito e a Vida, o homem, como reflexo de Deus, incorpora a saúde, a paz e a alegria. E, portanto, tenho domínio para rejeitar quaisquer sugestões falsas que possam alegar que eu ou qualquer pessoa esteja à mercê da dor, do contágio ou da insuficiência. Na verdade, a doença e a discórdia não têm cabimento, nem no corpo, nem na experiência de ninguém.

De novo, outra manhã, comecei a pensar em Deus como o Princípio e o Amor divinos. Compreendi que essa era uma espécie de receita para evitar uma atitude crítica, e assim tomar uma posição de perdão para com os outros e perdoá-los quando somos injustiçados. Por quê? Porque não pode haver nenhum ressentimento, divergência ou alienação no reino do Amor. Então posso vivenciar e sentir o amor do Amor, a lei divina do Princípio a se expressar em compaixão, ternura e paciência.

Outra manhã, passei algum tempo reafirmando que, por ser o homem coexistente e coeterno com Deus, a própria Verdade, qualquer ação ou atividade que acontecesse naquele dia teria de coincidir com o que é verdade em toda a criação de Deus: a harmonia. Além disso, os pensamentos vindos da Mente una e única são à semelhança de Deus e incluem clareza, precisão e sabedoria em quaisquer decisões que eu tenha de tomar.

Algo mais, que me ajudou e achei relevante em minha oração matinal, é o que a Sra. Eddy designou como “Oração Diária”, como orientação para os membros dA Igreja de Cristo, Cientista: “ ‘Venha o Teu reino’; estabeleça-se em mim o reino da Verdade, da Vida e do Amor divinos, eliminando de mim todo o pecado; e que a Tua Palavra enriqueça os afetos de toda a humanidade, e a governe!” (Manual da Igreja, p. 41).

A reinvindicação, aceitação e desdobramento de ideias cuja base é a oração, restauram, renovam, curam, regeneram e transformam o pensamento e a ação, conforme necessário. A primeira estrofe do hino 287 do Hinário da Ciência Cristã indica um outro modo de pensar a respeito da importância de orarmos logo de manhã:

Orando, elevo o meu pensar
Ao Deus da luz, o bem;
E a realidade vem
As trevas dissipar.
(Edith Gaddis Brewer, trad. © CSBD)

A oração abre uma espécie de reservatório mental de ideias verdadeiras. Meu coração transborda de gratidão na presença da Vida, da Verdade e do Amor, quando oro ao amanhecer. Antes de tudo! 

More web articles

A Missão dO Arauto da Ciência Cristã 

“...anunciar a atividade e disponibilidade universal da Verdade...”

Mary Baker Eddy, The First Church of Christ, Scientist, and Miscellany [A Primeira Igreja de Cristo, Cientista, e Outros Textos], p. 353

Conheça melhor O Arauto da Ciência Cristã  e sua missão.