Skip to main content Skip to search Skip to header Skip to footer
Original para a Internet

Expectante pela bondade de Deus… imediatamente!

DO Arauto da Ciência Cristã. Publicado on-line – 11 de outubro de 2021


Vários anos atrás, durante a reunião de testemunhos em nossa filial da Igreja de Cristo, Cientista, uma amiga relatou uma experiência. Ela havia ido com seu filho de três anos a uma piscina de hotel e, quando se virou para acomodar e organizar seus pertences, o menino caiu na água na parte funda da piscina. Minha amiga correu para pular na água, mas imediatamente o menino reapareceu na superfície perto da borda, de onde ela pôde facilmente puxá-lo para fora. O garoto não estava assustado. Enquanto o secava com uma toalha, a mãe lhe perguntou o que ele havia pensado quando caiu na água. Ele disse: “Mamãe, eu não sei nadar, então eu disse: ‘Deus, vem aqui e fica debaixo de mim, rápido!’ ”

Com a expectativa de ser imediatamente ajudado por Deus, o menino foi salvo.

Quando temos a expectativa de ter a ajuda imediata de Deus, nós a recebemos. Por que acontece assim? A Bíblia nos diz que Deus está sempre presente. A Ciência Cristã ressalta, além disso, que Deus é todo-ação e repleto de amor por nós. Deus é nosso Pai-Mãe, e nunca podemos sair do alcance do amparo divino. Deus nos criou espiritualmente: indestrutíveis, inocentes e livres de todo perigo. Voltar-nos a Deus, como esse pequeno fez, é ter a expectativa — e então receber — apenas o bem.

Aqui está um exemplo do cuidado instantâneo demonstrado por Jesus, conforme relatado na Bíblia: “Enquanto ele ia, as multidões o apertavam. Certa mulher que, havia doze anos, vinha sofrendo de uma hemorragia, e a quem ninguém tinha podido curar [e que gastara com os médicos todos os seus haveres], veio por trás dele e lhe tocou na orla da veste, e logo se lhe estancou a hemorragia. …Então, lhe disse: Filha, a tua fé te salvou; vai-te em paz” (Lucas 8:42–44, 48).

Quando Jesus a reconfortou, ele a chamou de “filha”. Isso me sugere que, se quisermos praticar o que Jesus ensinou, é importante identificar a nós mesmos e aos outros como filhos e filhas de Deus, a fim de podermos reconhecer a bondade de Deus. Jesus também disse à mulher que a fé a havia curado, e lhe disse que se fosse em paz. Será que nós podemos ter a expectativa de receber o bem, do mesmo jeito que aconteceu com aquela mulher mencionada na Bíblia, e com o garotinho na piscina?

Quando nossos filhos estavam no pré-primário, e estávamos esperando nosso terceiro filho, meu marido e eu nos mudamos da pequena comunidade onde havíamos morado na infância. Nessa cidade viviam meus pais e meus sogros, vários irmãos e muitos colegas de escola. Havia ajuda sempre à mão. Por exemplo, nos meses de inverno, se alguém ficasse atolado na neve, outro sempre chegava e ajudava. Mas não conhecíamos ninguém na cidade na qual iríamos morar.

Logo que chegamos, compramos um carro usado, com o pouco dinheiro que tínhamos, e pegamos a estrada para dirigir por cerca de 45 minutos até nosso novo apartamento. De repente, o motor do carro ferveu, e tivemos de parar no acostamento. Isso foi antes dos celulares, e além do mais não tínhamos dinheiro extra para um reboque, mesmo que houvesse algum disponível naquela redondeza. Meu marido, que era habilidoso com carros, deu uma olhada debaixo do capô e viu que uma mangueira havia se soltado — era fácil de consertar, mas precisávamos sair da rodovia para ir a um lugar onde houvesse água para pôr no radiador.

Enquanto ele estava verificando sob o capô, muitos carros iam passando, e comecei a orar. Eu havia orado, e recebido a orientação necessária para tomar todas as providências relacionadas com a mudança. Esperando, ali no carro, eu sabia que Deus, o bem, estava presente, guiando nosso próximo passo. Comecei a cantar com as crianças um de nossos hinos favoritos. Era um poema escrito por Mary Baker Eddy. O primeiro verso diz:

Mostra, Pastor, como andar
Sobre a escarpa além,
Teu rebanho pastorear
E cuidá-lo bem.
Tua voz escutarei
Para não errar;
Pela senda rude irei,
Sempre a cantar.

(“ ‘Apascenta as minhas ovelhas’ ”, Hino 304, Hinário da Ciência Cristã, trad. © CSBD)

Era tarde, hora do jantar, as crianças estavam com fome, e comecei a me preocupar sobre o que faríamos se ainda estivéssemos com o carro enguiçado depois que escurecesse. Mas então me lembrei desta declaração reconfortante inscrita em uma parede da nossa igreja na localidade onde havíamos morado: “O Amor divino sempre satisfez e sempre satisfará a toda necessidade humana” (Mary Baker Eddy, Ciência e Saúde com a Chave das Escrituras, p. 494). A palavra sempre significa sem falta, em todas as ocasiões, em todos os momentos. Exatamente ali onde estávamos, o Amor divino, Deus, estava presente. Como filhos e filhas do Amor, não podíamos deixar de pôr em prática o que Jesus ensinou, identificando-nos a nós mesmos e aos outros como filhos de Deus.

 Naquele momento um carro parou, e seus ocupantes, com toda boa-vontade, deram ao meu marido um jarro com água e se foram. Surpreso e agradecido, ele verteu a preciosa água em nosso carro sedento, e fomos a um posto de gasolina, onde pudemos deixar o motor esfriar, reconectar a mangueira, e colocar mais água, para então prosseguir em segurança rumo ao nosso apartamento. Aqueles desconhecidos haviam expressado claramente o cuidado generoso do Amor divino, e nosso coração transbordava de gratidão a eles e a Deus.

 Enquanto refletia sobre essa experiência, li estas palavras da Sra. Eddy: “São Paulo escreveu: ‘Alegrai-vos sempre no Senhor.’ E por que não, já que as possibilidades do homem são infinitas, a felicidade suprema é eterna, e a consciência desses fatos está presente aqui e agora?” (Miscellaneous Writings [Escritos Diversos] 1883–1896, p. 330).

Nossas possibilidades são infinitas porque a consciência de Deus, o Amor, está constantemente presente. Como Deus está sempre presente, o bem está sempre presente. Nunca podemos ficar de fora nem nos afastar dos cuidados do Amor. Podemos confiar e manter a expectativa do bem espiritual. Assim como a mulher mencionada no evangelho de Lucas e o filhinho da minha amiga na piscina, nossa família teve a expectativa da ajuda imediata de Deus e a recebeu — da mesma maneira que você também a pode receber!

More web articles

A Missão dO Arauto

“...para anunciar a atividade e disponibilidade universal da Verdade...”

— Mary Baker Eddy, The First Church of Christ, Scientist, and Miscellany p. 353 [A Primeira Igreja de Cristo, Cientista, e Outros Textos]

Conheça melhor O Arauto e sua missão.