Skip to main content Skip to search Skip to header Skip to footer
Original para a Internet

A Verdade fala todas as línguas

DO Arauto da Ciência Cristã. Publicado on-line – 1º de agosto de 2022


O que você pensaria se tivesse ido da Líbia para Jerusalém a fim de participar da celebração da colheita judaica, e, durante as festividades, tivesse ouvido uma nova mensagem proferida em seu próprio idioma, por pessoas que não conheciam esse idioma? Aliás, você não estaria sozinho. A pessoa originária do que hoje é a Turquia também ouviu a mensagem em sua própria língua. E os visitantes vindos de Roma a ouviram no idioma deles.

Foi exatamente o que ocorreu. Fazia apenas cinquenta dias que Cristo Jesus havia ressuscitado e menos de duas semanas após sua ascensão. O que aconteceu foi extraordinário. Na festividade que os cristãos conhecem como o dia de Pentecostes, um som como de um vento impetuoso foi seguido por “línguas, como de fogo”, cada uma pousando sobre cada um dos apóstolos cristãos, e “todos ficaram cheios do Espírito Santo”, enquanto falavam à multidão que estava ao redor deles (ver Atos, capítulo 2). Eles falaram em línguas diferentes uns dos outros, e os ouvintes receberam uma mensagem de esperança e salvação — cada um em sua própria língua.

O que aqueles ouvintes ouviram naquele dia, muitos pela primeira vez, foi que Cristo Jesus vencera a morte e em seguida ascendera aos céus. Nos dias e nos anos que se seguiram ao evento do dia de Pentecostes, à medida que o ensinamento cristão se espalhava por toda parte, muitos iriam dar-se conta de que a mensagem de Jesus acerca do Cristo, ou seja, a Verdade, mensagem essa que ele viveu tão plenamente, na realidade estava disponível para todos, em todos os lugares, para ser compreendida e praticada, reformando a todos e realizando curas na vida das pessoas.

Hoje, não importa onde quer que possamos nos encontrar — tanto mental quanto geograficamente — a Verdade nos fala. Podemos contar com essa Verdade para que nos revele nossa verdadeira natureza espiritual e nos cure, assim como aconteceu na vida daqueles primeiros discípulos cristãos, sendo que a maioria deles era constituída de alunos totalmente novos aos ensinamentos do Cristo. O que eles compreenderam do Cristo, como sendo a santidade que brilhou tão intensamente na vida de Jesus, ajudou a apresentar a realidade de Deus e Seu divino poder de cura a milhares de pessoas.

A humanidade continua necessitando dessa expressão da Verdade e do Amor, ou seja, o Cristo, para que nos mostre a individualidade espiritual que cada um de nós já tem como a semelhança de Deus. Somos livres para aceitar nossa verdadeira identidade tal como foi criada por Deus, o Espírito divino, e encontrar nosso potencial para o bem, como sanadores, tanto para curar a nós mesmos como para curar os outros.

Mary Baker Eddy, que descobriu e fundou a Ciência Cristã, reconheceu que o Cristo fala a cada pessoa, independentemente de raça, credo ou país de origem. Seu livro Ciência e Saúde com a Chave das Escrituras identifica o Cristo desta maneira: “O Cristo é a ideia verdadeira que proclama o bem, a mensagem divina de Deus aos homens, a qual fala à consciência humana” (p. 332).

Você pode reconhecer o Cristo, ou o espírito da Verdade, em cada pensamento inspirado, bom, honesto e inteligente que você tem. A voz divina pode vir como a convicção de que o bem tem mais poder do que o mal, se estivermos em um lugar mentalmente sombrio ou em alguma circunstância difícil. Esse pensamento pode ser a confirmação de que você está bem e saudável, porque Deus o criou assim.

Muitos pensamentos que não são de Deus chegam até nós como ruído de fundo ― e às vezes como argumentos esmagadores que não merecem nossa atenção. Uma emoção que nos puxa para baixo ou mesmo uma sensação de estar doente não é uma mensagem da Verdade. A Ciência Cristã, de maneira correta, classifica tais comunicações como erro mortal, o oposto da Verdade, as quais não vêm de Deus. Pensamentos de medo podem ser silenciados por toda intuição espiritual que nos fala do poder, da presença e da orientação de Deus.

O pensamento humano rotineiro — que limita os hábitos de pensamento — argumentaria que a comunicação divina está confinada a uma determinada época, tanto na história do mundo, como em nossa própria vida. Ou talvez nos sugira que para os outros é possível vivenciar a unidade com Deus, o bem, como Sua expressão, mas que para nós não é possível. Isso diminuiria nossa receptividade ao poder da Verdade. Mas cada oração que afirma que somos todos filhos de um único Deus, o Espírito amoroso e todo-poderoso, destrói qualquer resistência à Verdade.

As pessoas aceitaram a mensagem do Cristo no dia de Pentecostes, e essa receptividade à Verdade continua até hoje. Somos parte importante desse processo, quando prestamos atenção às intuições espirituais da Verdade que chegam até nós a todo minuto e as deixamos transformar o modo como pensamos e agimos. A Bíblia registra que milhares se uniram ao pequeno grupo de apóstolos no dia de Pentecostes. As barreiras existentes entre pessoas com origens diferentes foram derrubadas naquele dia. Os cristãos — até mesmo os novos membros do grupo — animados pelo Cristo, se dedicaram a pôr em prática o que o Mestre havia dito: “…recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judeia e Samaria e até aos confins da terra” (Atos 1:8).

Podemos ver essa atividade universal da Verdade hoje no trabalho dA Igreja de Cristo, Cientista, mudando o pensamento humano, abandonando a visão material e adotando a visão espiritual a respeito de Deus e de nós mesmos. À medida que sua igreja crescia, a Líder da Ciência Cristã encontrou uma maneira de comunicar a presença da Verdade em todos os lugares. A Sra. Eddy deu início a uma publicação denominada O Arauto da Ciência Cristã, cujo propósito, conforme ela disse, é “…anunciar a atividade e disponibilidade universal da Verdade…” (The First Church of Christ, Scientist, and Miscellany, [A Primeira Igreja de Cristo, Cientista, e Outros Textos], p. 353).

Um testemunho de cura, originalmente publicado na edição russa on-line do Arauto, mostra de modo silencioso o alcance da Verdade no coração receptivo. Uma mulher da Geórgia, país situado no sul do Cáucaso, leu um panfleto sobre a Ciência Cristã em russo e começou a ver curas que ocorriam por meio daquilo que ela estava aprendendo com aquele panfleto. Seu trabalho como professora de meio período passou a ser em tempo integral e foi nomeada a melhor professora de sua escola. Quando recebeu um aumento salarial, o dinheiro extra que ganhou lhe permitiu ajudar seus familiares e amigos. Foi curada de dor nas costas. As verdades que estava aprendendo com a leitura do livro Ciência e Saúde passaram a ser seu apoio diário, quando se mudou para outro país e foi curada de cólicas menstruais recorrentes. Ela disse: “A Ciência Cristã me mostrou como ouvir a Deus, e ainda está me mostrando o caminho para a vida. Deus está sempre conosco!” (cssentinel.com/always-with-us).

Mesmo um único exemplo mostra que a Verdade continua a comunicar uma mensagem de cura às pessoas em toda parte. Ao olharmos para nosso mundo, também nós podemos dar testemunho da Verdade, à medida que a Verdade fala a cada um e a todos, da maneira exatamente apropriada para cada um.

 Susan Stark
Gerente de Redação

More web articles

A Missão dO Arauto da Ciência Cristã 

“...anunciar a atividade e disponibilidade universal da Verdade...”

Mary Baker Eddy, The First Church of Christ, Scientist, and Miscellany [A Primeira Igreja de Cristo, Cientista, e Outros Textos], p. 353

Conheça melhor O Arauto da Ciência Cristã  e sua missão.