Skip to main content Skip to search Skip to header Skip to footer
Original para a Internet

O canto das baleias

DO Arauto da Ciência Cristã. Publicado on-line – 15 de agosto de 2022


Há ocasiões em que, para certas situações, parece não haver solução fácil à mão, e não conseguimos vislumbrar uma saída adequada. Uma situação recente, no entanto, revelou uma analogia encorajadora.

Eu estava caminhando na praia e decidi nadar um pouco. Mergulhei abaixo das ondas, bem fundo, e ouvi sons fortes — o canto das baleias! Eu estava rodeado pelo canto de inúmeras baleias. Enquanto caminhava pela praia, as baleias migratórias lá estavam, cantando, mas eu não tinha ideia do que estava acontecendo, até mergulhar bem fundo, abaixo da superfície. Então ouvi as baleias.

Essa experiência me fez pensar. Dei-me conta de que a oração tem efeito semelhante. Quando nos defrontamos com situações difíceis na família, no trabalho, contas a pagar, o noticiário, ou qualquer outro problema, a oração é a maneira de ir mais a fundo no pensamento e ouvir soluções espirituais que não são perceptíveis quando permanecemos na superfície material.

Com base na oração, Cristo Jesus mostrou para todos nós uma maneira de ver e ouvir mais do que apenas as ondas. Quando Jesus e os discípulos estavam em um barco em meio a uma tempestade, deu esta ordem: “…Acalma-te, emudece” e fez-se grande bonança (Marcos 4:39). Jesus compreendia que Deus, o Amor divino, estava ali com eles, mesmo em meio à tempestade, e sua oração fez com que todos sentissem a calma que na realidade estava presente.

No Antigo Testamento, o profeta Eliseu também teve um vislumbre semelhante, quando seu servo viu que a cidade estava rodeada por aqueles que planejavam capturar Eliseu. Este, no entanto, com a clareza da compreensão espiritual, assegurou ao servo que “…mais são os que estão conosco do que os que estão com eles” (2 Reis 6:16). Então o servo também viu a legião de anjos que os cercava.

Como é que podemos fazer isso? Como podemos ver soluções que não víamos, ou sentir-nos calmos diante de uma tempestade ameaçadora? A Descobridora da Ciência Cristã, Mary Baker Eddy, escreveu: “Temos de examinar profundamente o que é real, em vez de aceitar apenas o senso exterior das coisas” (Ciência e Saúde com a Chave das Escrituras, p. 129). O ponto de partida é a oração em que esperamos a direção de Deus — aquietamos nosso pensamento, reconhecemos a presença e o poder divinos, deixamos que Deus entre na conversa, e escutamos. A partir daí estamos abertos para ouvir o “canto” da Ciência divina, que nos dá o poder de pensar a partir de uma base totalmente diferente daquilo que a superfície material revela.

Essa base é a verdade sobre o cuidado de Deus para com cada um de nós, Seus filhos inteiramente espirituais, que refletem o bem infinito de Deus. À medida que compreendemos e passamos a pensar a partir dessa realidade espiritual, ela tem efeito sanador.

Certa ocasião eu estava me sentindo frustrado pelo esforço que estava dedicando a um relacionamento e o pouco retorno que recebia em troca. Sem conseguir ir adiante com essa linha de pensamento, percebi que precisava olhar mais a fundo e orar. Minha oração foi simples: “Mostra-me, Deus, o que preciso compreender”.

A resposta foi imediata: “Será que o bem está em falta, em sua vida?” Dei-me conta de que eu estava olhando para o que parecia me faltar. No entanto, espiritualmente já temos tudo de que precisamos, porque nossa verdadeira natureza é inseparável de Deus. Parecia-me que Deus estava dizendo: “As baleias estão cantando — mergulhe e ouça”.

Com esse alerta fui em frente e consegui dar mais de mim com liberdade, o que beneficiou minha interação com os outros.

Ter a disposição de desafiar, com o apoio da oração, nossas próprias suposições, e raciocinar a partir do que Deus, a Mente divina, está revelando a nosso respeito e a respeito da situação, habilita-nos a perceber soluções possíveis, bem ao nosso alcance. A Sra. Eddy aludiu a esse discernimento, quando escreveu: “O efeito dessa Ciência consiste em sacudir a mente humana, levando-a a uma mudança de base, sobre a qual possa ceder à harmonia da Mente divina” (Ciência e Saúde, p. 162).

Quer estejamos nos defrontando com uma questão pessoal, quer seja mundial, mesmo que pareça não haver uma direção visível, temos a capacidade, outorgada por Deus, de olhar mais a fundo, escutar abaixo do ruído da superfície, e ouvir o canto das soluções espirituais que chegam até nós.

More web articles

A Missão dO Arauto da Ciência Cristã 

“...anunciar a atividade e disponibilidade universal da Verdade...”

Mary Baker Eddy, The First Church of Christ, Scientist, and Miscellany [A Primeira Igreja de Cristo, Cientista, e Outros Textos], p. 353

Conheça melhor O Arauto da Ciência Cristã  e sua missão.