Skip to main content Skip to search Skip to header Skip to footer
Original para a Internet

Colocar em prática a parábola da rede

DO Arauto da Ciência Cristã. Publicado on-line – 20 de setembro de 2021


Ao participar recentemente de um grupo de estudo bíblico, fiz uma análise mais profunda sobre a parábola de Jesus que afirma que “o reino dos céus é semelhante a uma rede que, lançada ao mar, recolhe peixes de toda espécie. E, quando já está cheia, os pescadores arrastam-na para a praia e, assentados, escolhem os bons para os cestos e os ruins deitam fora” (Mateus 13:47, 48).

Isso me fez pensar a respeito do que eu estivera fazendo ultimamente — trazendo à tona antigas lembranças e fazendo uma seleção: as boas e espiritualmente fundamentadas para serem mantidas, e as dolorosas, mortais, para serem descartadas. Estudar essa parábola me ajudou a compreender melhor a orientação de Mary Baker Eddy, quando diz: “Monta guarda à porta do pensamento. Admitindo somente aquelas conclusões cujos resultados desejas ver concretizados no corpo, tu te governas harmoniosamente” (Ciência e Saúde com a Chave das Escrituras, p. 392). Separar meus pensamentos de modo que os únicos a serem aceitos são aqueles que elevam, purificam e ajudam os outros, bem como a mim mesmo, enquanto rejeito o medo, a raiva, a vingança, o ódio, o ciúme e outros pensamentos mortais, classificando-os como indignos, libera espaço para outros bons pensamentos e me ajuda a ver o caminho a ser seguido em minha jornada espiritual.

Por exemplo, eu estivera cultivando pensamentos de raiva em relação a uma mulher que contara à minha esposa mentiras a meu respeito. Ficar lembrando isso acabou com minha alegria. Eu precisava perdoar, não apenas essa pessoa, por mentir a meu respeito, mas também minha esposa, por ter inicialmente acreditado nas mentiras. Nutri esse sentimento de raiva por um bom tempo. Mas depois de estudar com mais profundidade a parábola da rede, eu trouxe essas lembranças à superfície e consegui negar que fossem verdadeiras ou que pudessem exercer alguma influência sobre mim. Em vez disso, aceitei como real a lei divina da paz e da harmonia, e em seguida a paz e a harmonia foram restabelecidas no meu dia a dia e em nosso lar, e desapareceu toda a raiva que acompanhava essa lembrança.

Com meu estudo da Ciência Cristã, estou juntando um belo tesouro que traz paz e compreensão, e desse tesouro vem a capacidade de compartilhar dons espirituais com outras pessoas.

More web articles

A Missão dO Arauto

“...para anunciar a atividade e disponibilidade universal da Verdade...”

— Mary Baker Eddy, The First Church of Christ, Scientist, and Miscellany p. 353 [A Primeira Igreja de Cristo, Cientista, e Outros Textos]

Conheça melhor O Arauto e sua missão.