Skip to main content Skip to search Skip to header Skip to footer
Original para a Internet

Cura de doença e de tristeza durante a pandemia

DO Arauto da Ciência Cristã. Publicado on-line – 13 de setembro de 2021


No início do ano passado, participei com muito amor e entusiasmo de um Curso de Enfermagem da Ciência Cristã, durante uma semana, no Chile, quando uma atmosfera alarmante de medo e negativismo começou a se espalhar pelo nosso país, devido à pandemia global. 

Tenho um emprego de meio período e havia tirado uma semana livre para fazer esse curso em minha cidade. Durante os últimos anos, fiz cursos de enfermagem da Ciência Cristã, pois meu desejo era completar o treinamento para a prática dessa enfermagem, iniciando assim uma carreira em tempo integral como enfermeira da Ciência Cristã, para proporcionar o cuidado físico que às vezes as pessoas necessitam, quando estão se apoiando só na oração, para recuperar a saúde.

Após o término do curso, continuei com o trabalho de meio período, mas surgiram muitas dificuldades. Devido ao medo de uma pandemia que se alastrava, o governo exigiu que fizéssemos mudanças no nosso consultório, tais como o uso de equipamento de proteção que estorvava a capacidade de me comunicar facilmente com meus clientes e colegas. Ao mesmo tempo, comecei a perceber o surgimento de um ambiente negativo que prejudicava o relacionamento naturalmente harmonioso que eu tinha com as pessoas ao meu redor. 

De repente, comecei a sentir desânimo, fiquei acometida de uma profunda tristeza. Ocorreu-me que eu não seria capaz de interagir com outras pessoas com a familiaridade, o carinho e a alegria que antes eu expressava, e dessa forma parecia-me impossível ser uma bênção para alguém, especialmente para aqueles que necessitavam de ajuda e buscavam respostas espirituais e cura. Esses temores, essa sugestão mental agressiva, ameaçavam impedir o progresso e a alegria que eu vivenciara durante a semana que fiz o Curso de Enfermagem da Ciência Cristã.

Ao mesmo tempo, fiquei muito debilitada fisicamente e me senti doente, com febre e outros sintomas. Eu orava mas não sentia a alegria que antes tivera, e a certa altura meu estado ficou tão ruim que eu não conseguia me levantar.

Eu precisava muito de ajuda, portanto, pedi a um praticista da Ciência Cristã que orasse por mim. Ele se comunicava comigo com muito afeto todos os dias e me enviava por e-mail ideias espirituais sobre as quais pensar e com as quais orar. Mandava também passagens da Bíblia e do livro Ciência e Saúde com a Chave das Escrituras, escrito por Mary Baker Eddy. O Salmo 23 e o versículo a seguir, do Salmo 59, me confortaram: “Eu, porém, cantarei a tua força; pela manhã louvarei com alegria a tua misericórdia; pois tu me tens sido alto refúgio e proteção no dia da minha angústia” (Salmo 59:16).

Pedi ao meu marido, que estava comigo em casa e uma vez se oferecera como voluntário em uma casa de enfermagem da Ciência Cristã, que me ajudasse nas minhas necessidades diárias. Nosso país tinha estritas diretrizes comunitárias, às quais obedecíamos. Meu marido se manteve afetuosamente ao meu lado e me ajudou até mesmo nas coisas mais simples. 

Durante alguns dias, parecia que eu estava muito mal e me ocorreu que possivelmente eu estivesse sofrendo com o vírus de que todo mundo estava falando. Mas o amoroso cuidado e atenção de meu marido, em conjunto com a oração do praticista e os telefonemas diários dos meus filhos, foram me fortalecendo, até que me senti capaz de pensar e orar novamente. O que me levou a sair do sonho da doença foi a alegria, o amor e a convicção de que eu era uma filha perfeita de Deus, convicção expressada por todos os que estavam me ajudando. Isso estava me restabelecendo. Comecei a sentir essa energia ilimitada que só pode vir do Espírito divino. 

O momento decisivo foi quando deixei de pensar em mim mesma como um corpo que estava sofrendo e consegui sentir de novo minha união espiritual com Deus, nossa origem divina, e o amor de nosso Pai celestial que a todos envolve. A atmosfera de negativismo que anuviara alguns dos meus relacionamentos se dissolveu e pude ser grata por tudo o que o praticista da Ciência Cristã e minha família estavam fazendo por mim, com tanto amor, e com tanta abnegação.

Durante esse tempo, nossa Sociedade da Ciência Cristã em Santiago estava transmitindo os cultos on-line, e achei que eu precisava continuar exercendo meu cargo de Segunda Leitora, para o qual havia sido eleita, mesmo porque não havia substitutos disponíveis. Mas senti-me abençoada por esse serviço prestado a Deus, pela preparação espiritual e pelo estudo que essa atividade da igreja requeria. Também fui abençoada por participar de um grupo de estudo semanal on-line, dos enfermeiros da Ciência Cristã, e pelo que estávamos aprendendo com a leitura do capítulo “Gênesis”, em Ciência e Saúde, que examina profundamente esse capítulo das Escrituras. 

Minha alegria e energia voltaram e todos os sintomas da doença desapareceram. Eu jamais imaginara quanto necessitava sentir o amoroso cuidado de Deus e Suas qualidades maternais de afeto e constância. Mas eu tive de ser mais humilde e reconhecer que eu merecia sentir esse amor que vem a cada um de nós, da parte de Deus. Também ficou mais clara minha compreensão sobre o significado de “…Amarás o teu próximo como a ti mesmo” (Mateus 22:39). Não podemos verdadeiramente amar os outros a não ser que nós mesmos sintamos o amor sanador de Deus.

Sandra Luzio
Santiago, Chile

More web articles

A Missão dO Arauto

“...para anunciar a atividade e disponibilidade universal da Verdade...”

— Mary Baker Eddy, The First Church of Christ, Scientist, and Miscellany p. 353 [A Primeira Igreja de Cristo, Cientista, e Outros Textos]

Conheça melhor O Arauto e sua missão.