Skip to main content Skip to search Skip to header Skip to footer
Original para a Internet

Deus é o bem permanente

DO Arauto da Ciência Cristã. Publicado on-line – 14 de abril de 2022


Durante aquelas horas em que Jesus esteve na cruz, seus seguidores devem ter se sentido muito desmoralizados. Parecia que estavam perdendo aquele a quem mais amavam no mundo. Tudo indicava que Jesus estava morrendo, que sua mensagem de cura e seu exemplo estavam se desintegrando. Eles ouviam as pessoas dizerem sarcasticamente: “...Salvou os outros; a si mesmo se salve, se é, de fato, o Cristo de Deus, o escolhido” (Lucas 23:35).

Se você e eu pudéssemos retroceder no tempo e ficar ali ao pé daquela cruz, naquele dia, não teríamos gostado da cena que estaríamos vendo, mas não nos sentiríamos desencorajados. Por quê? Porque nós já saberíamos como é que essa história terminaria! Mesmo depois de ver uma enorme pedra ser rolada para fechar o túmulo de Jesus ― uma pedra que parecia tapar tudo o que Jesus havia dado ao mundo ― ainda assim teríamos ânimo e boas expectativas, porque saberíamos o que estava por suceder: a vitoriosa ressurreição e ascensão de Jesus, um triunfo completo e absoluto para Jesus e, em realidade, para todos.

Hoje, pode-se dizer simbolicamente que aquela pedra ainda está sendo rolada para fechar algum túmulo. Quando parece que o bem no mundo está sendo escondido, ou pior ainda, que está se desintegrando, poderíamos involuntariamente assumir o tom de pensamento que os discípulos de Jesus assumiram durante a crucificação. É fácil sentir raiva de qualquer supressão do bem e da pureza. O que pode vir a seguir é a desesperança. E depois, como alguns daqueles discípulos, poderíamos finalmente cair no abismo que é a apatia ou até mesmo o desespero.

No entanto, vivemos em outra época. Devido a conhecermos e compreendermos o exemplo e a vitória de Jesus, sabemos, em última análise, como terminou aquela história. O próprio Jesus nos assegurou: “Passará o céu e a terra, porém as minhas palavras não passarão” (Lucas 21:33).

Sim, as palavras de verdade ditas por Jesus, e tudo o que elas pressagiam, sempre têm como base toda a força, toda a presença e toda a autoridade de Deus. À luz desse fato, é sensato abordar tudo o que faria as pessoas se sentirem temerosas, sem esperança e, principalmente, apáticas com relação ao bem permanente da cura cristã ―  e pôr a descoberto o fato de que tudo isso é infundado, pois a vitalidade e a possibilidade da cura cristã estão sempre presentes.

Uma dessas afirmações falhas e infundadas é a de que as pessoas são simplesmente máquinas físicas, que precisam colocar todas as esperanças em solucionar tudo por meio da matéria. As incontáveis vezes em que essa mentira é repetida nunca a farão tornar-se realidade. A Ciência Cristã ensina que o Criador de todos nós não é a fisicalidade, mas sim, Deus, o Espírito divino. E Jesus disse claramente: “...o que é nascido do Espírito é espírito” (João 3:6).

Se nascemos do Espírito, então é lógico que temos de permanecer semelhantes ao Espírito, espirituais. Se não somos máquinas materiais, então a cura e a salvação que amamos não são eventos físicos ou materiais, mas revelações inspiradas. São evidências da bela verdade de que a criação de Deus existe eternamente, mostrando a bondade, a natureza e a perfeição permanentes do Espírito. Uau! Decididamente não é algo que nos leva à apatia!

Outro equívoco frequentemente repetido a respeito da criação de Deus é que esta inclui o ódio, o que faria com que odiar fosse normal. A animosidade pode parecer mais bem aceita do que nunca, mas pretende negar ou esconder o bem que Deus expressa no homem. O rancor e o desafeto nunca serão qualidades de Deus, do Amor divino, e isso significa que nunca são naturais à criação do Amor divino. Felizmente, o bem é permanente, e as interações felizes com outras pessoas e o amor por todos, um amor despojado de ego, são normais, razoáveis e até fortalecedores. Em seu livro Ciência e Saúde com a Chave das Escrituras, Mary Baker Eddy faz esta observação: “Tudo o que mantém o pensamento humano em linha com o amor despojado de ego recebe diretamente o poder divino” (p. 192). O verdadeiro Cristianismo cura tudo o que faria as pessoas se sentirem desconectadas, sem esperança e apáticas.

Uma terceira crença predominante é a de que o mal está realmente no comando e que todos nós permanecemos em completa ignorância a esse respeito. As pessoas que se sentem enganadas por órgãos governamentais ou pelas fontes de notícias podem cair em uma constante suspeita de que, escondido da vista, o mal está em ação contínua. Isso também pareceria negar ou esconder o bem de Deus, desviando-nos daquilo que é moral e correto. Mas nada disso é verdade. A respeito dos filhos de Deus, a Bíblia diz: “Deste-lhe domínio... e sob seus pés tudo lhe puseste...” (Salmos 8:6).

Temos domínio completo, dado por Deus, sobre cada mentira enganosa e desencorajadora a respeito de Deus e de Sua criação, que jamais possa ter sido dita, ou mesmo pensada. Os filhos de Deus pensam e falam vigorosa e corretamente a partir da autoridade que é Deus, a Verdade. Por isso, podemos fazer as “outras [obras] maiores” que Cristo Jesus prometeu que faríamos (João 14:12) e provar que o mal, sob qualquer forma, é impotente e irreal.

Embora um mundo de dúvidas humanas possa nos tentar a ficar obcecados com o que parece uma desintegração do bem, sabemos que todo o puro bem de Deus está constantemente presente de maneira plena. Esse bem está presente para ser visto, expressado e valorizado. Ao reconhecer esse fato, não nos sentimos apáticos, mas cheios de energia. É um momento para alegrar-nos! Quando a pedra que tapava o túmulo de Jesus foi removida, há vinte séculos, a alegria do mundo começou, e permanece viva até hoje.

Por quanto tempo mais continuará a celebração? Para sempre. Assim como o anjo sentou-se sobre a pedra, depois de removida do túmulo de Jesus, assim também o Cristo, a Verdade, senta-se vitoriosamente hoje sobre tudo o que esconderia a Ciência da cura cristã. A vitória de Jesus sobre a morte, o medo, a apatia, o ódio e assim por diante, não foi apenas para um determinado momento e para uma determinada pessoa em especial. Foi para toda a eternidade e para todos. E continua sendo. Podemos ser gratos pelo fato de que o mundo inteiro continua a progredir, movido por essa vitória. Mesmo quando parece que a cura cristã está sendo crucificada, Cristo Jesus já provou para nós que a cura é inevitável, porque “A Verdade é sempre a vencedora” (Ciência e Saúde, p. 380).

Como a Sra. Eddy nos diz:
Da tirania, ou opressão,Brotar faz Deus
Ideia viva em ação,
Aos filhos Seus.
(Hinário da Ciência Cristã, 160, trad. © CSBD)

More web articles

A Missão dO Arauto da Ciência Cristã 

“...anunciar a atividade e disponibilidade universal da Verdade...”

Mary Baker Eddy, The First Church of Christ, Scientist, and Miscellany [A Primeira Igreja de Cristo, Cientista, e Outros Textos], p. 353

Conheça melhor O Arauto da Ciência Cristã  e sua missão.