Skip to main content Skip to search Skip to header Skip to footer
Original para a Internet

Para jovens

O que aprendi a respeito do contágio

Da edição de junho de 2020 dO Arauto da Ciência Cristã

Publicado anteriormente como um original para a Internet em 20 de abril de 2020.


Era sempre assim: Um parente ou amigo meu pegava uma gripe, e aí eu também ficava gripada. Parecia quase inevitável.

Mas desde pequena eu estava aprendendo algo bem diferente na Escola Dominical da Ciência Cristã. Ali me ensinaram que eu não tinha de concordar com pensamentos tais como: “Eles estão doentes e agora eu também vou ficar doente”. Na Escola Dominical nos ensinam também que Deus é bom e todo-poderoso, e cuida de nossa saúde, e que Ele nos fez espirituais. Isso significa que somos protegidos contra todo contágio ou doença, pois o que é espiritual não pode adoecer.

Assim, decidi que estava na hora de dar um basta na questão. Comprometi-me comigo mesma a desafiar todo pensamento que sugerisse que o contágio é algo a respeito do qual nada posso fazer; e a corrigir esse tipo de pensamento. Eu tinha de reconhecer que Deus está verdadeiramente no controle da saúde, (tanto a minha quanto a de minha família e de meus amigos).

Naquele período ingressei em um colégio como interna, e passei a morar no dormitório das garotas. Durante o primeiro semestre escolar houve um momento em que parecia que todos à minha volta estavam adoecendo. Com tantas pessoas passando mal, era difícil até mesmo ter a esperança de que eu não ficaria doente também. Mas lembrei-me do meu compromisso, certa de que eu poderia me voltar para Deus para que Ele me ajudasse.

Um trecho de Ciência e Saúde com a Chave das Escrituras, de Mary Baker Eddy, tornou-se especialmente importante para mim: “A Verdade vence o mais maligno dos contágios com perfeita segurança” (p. 176). Assim, sempre que eu via alguém tossir ou espirrar, eu declarava confiantemente que todos nós vivemos, nos movemos e existimos na Verdade, que é sinônimo de Deus (ver Atos 17:28). Isso significa que não há espaço para nada dessemelhante da Verdade; para nenhuma mentira ou sugestão de contágio. 

Orei também com a certeza de que Deus é a causa única e o único Criador. Visto que Deus é bom, Ele jamais teria criado a doença e não teria causado nenhuma doença, pois o bem não pode causar o mal. Por isso, verdadeiramente, a doença não tem existência real, nem pode fazer parte da minha experiência, nem da experiência de outras pessoas. 

Com imensa alegria digo que, graças às minhas orações durante todo aquele semestre, não tive sequer um traço de resfriado. Sou muito grata por haver suplantado o mero anseio ou somente a esperança de não ficar doente, elevando-me, em vez disso, à compreensão de que Deus nos mantém em perfeita saúde, e podemos demonstrar essa verdade em nossa vida.  

More in this issue / junho de 2020

A Missão dO Arauto

Quando Mary Baker Eddy estabeleceu O Arauto em 1903, ela disse que sua missão era a de "anunciar a atividade e a disponibilidade universal da Verdade" (The First Church of Christ, Scientist, and Miscellany, p. 353).

O Arauto registra, em suas páginas, a transformação que ocorre na vida de muita gente e mostra que cada um de nós pode chegar à Verdade.

Que alegria pensar que o efeito da Verdade atua na consciência humana, trazendo cura e renovação! Nosso Mestre, Cristo Jesus, nos prometeu algo que de fato está se cumprindo: "E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará" (João 8:32).

Cyril Rakhmanoff, O Arauto da Ciência Cristã, edição de julho de 1998
Conheça melhor O Arauto e sua missão.