Skip to main content Skip to search Skip to header Skip to footer
Original para a Internet

Para jovens

O que devo pensar sobre as coisas ruins?

Da edição de agosto de 2020 dO Arauto da Ciência Cristã

Publicado anteriormente como um original para a Internet em 15 de junho de 2020.


Não importa no que você acredite a respeito de Deus (ou se você acredita em Deus), você provavelmente já se perguntou sobre as coisas ruins da vida. Por que elas acontecem? Podemos pará-las? E se você tem algum conhecimento sobre a Ciência Cristã, você já deve ter feito esta pergunta, de uma maneira ou de outra: Se Deus realmente é Tudo, e é o bem — e esse é um dos pontos-chave na Ciência Cristã — então, por que é que ainda acontecem coisas horríveis ? Como é que é isso?

“Não faz sentido”, disse um aluno adolescente da minha turma da Escola Dominical da Ciência Cristã. Eu entendo o que ele queria dizer. E eu não estou aqui para dizer que as coisas difíceis com que nos deparamos, sejam situações nossas, entre nossos amigos ou as que vemos nos noticiários, podem facilmente ser postas de lado. O que quero dizer é que nunca encontrei respostas olhando para as coisas ruins, tentando entendê-las. As respostas, mesmo às questões mais difíceis, só vieram à medida que eu me dispus a deixar que Deus me mostrasse o que realmente estava acontecendo, a partir do ponto de vista dEle, de Deus, todo-poderoso e totalmente bom.

Foi isso que tive de fazer no ano passado, quando alguém que eu quero muito bem passou por uma série de desafios. Várias doenças, uma após a outra. A morte de alguém que era muito importante para ela, e depois um incêndio violento que ameaçou destruir sua casa.

Eu não conseguia entender. Eu queria acreditar no que a Bíblia diz: “O Senhor, teu Deus, está no meio de ti, poderoso para salvar-te…” (Sofonias 3:17). Mas o que eu estava vendo parecia contraditório. Orei de todas as maneiras que eu sabia, tentando obter clareza ou, quem sabe, até mesmo ajudar minha amiga. Por fim, quando essas orações não levaram a lugar algum, eu questionei: “Deus, não consigo entender por que ela está passando por tudo isso”. Aqui está a resposta que obtive: “Ela não está passando por nada disso”.

Sei que pode parecer meio chocante, mas não me chocou. Para mim, essa mensagem veio diretamente do Amor que eu sei que é Deus. E saber que o Amor era a fonte daquela mensagem me fez despertar. Não importa o que eu estivesse vendo, havia uma história diferente acontecendo.

Parecia que Deus estava me dizendo que as lentes que eu estava usando para ver a situação eram falhas. Eu estava vendo um universo cheio de pessoas e coisas que são materiais e, portanto, sujeitas ao sofrimento e à destruição. Mas o Amor, que é também o Espírito, fez cada um de nós espiritual, e esse é o nosso verdadeiro existir e nossa proteção. Como é possível ferir alguém que é puramente espiritual? Impossível. O Amor divino estava me incentivando a olhar mais a fundo para ver minha amiga dessa maneira — vê-la como totalmente segura, aos cuidados de Deus, em todos os momentos.

A situação não havia mudado, mas essa mensagem do Amor foi tão convincente, que consegui ver as coisas de maneira diferente e até ter a convicção de que minha amiga estava protegida e era amada por Deus. Logo depois disso, a direção do incêndio mudou, minha amiga e sua casa estavam a salvo. E eu certamente não posso dizer que fui eu que causei essa mudança, mas essa experiência me ensinou muito sobre como pensar e até como lidar com as coisas ruins. 

Primeiro, aprendi que compreender a Deus é essencial. Saber o que Deus é — conhecê-Lo como um poder ao qual nada pode se opor, como o bem que não pode ser enfraquecido nem destruído — é uma âncora. Isso nos mantém firmemente fundamentados, mesmo quando ondas de dúvida e medo batem contra nós.

Segundo, aprendi que é importante encarar a situação sob um ângulo diferente. Uma perspectiva fundamentada em Deus nos mostra que podemos ver além das aparências, e ver o que realmente está acontecendo — ver o que é verdadeiramente espiritual — mesmo diante das coisas que parecem assustadoras ou opressoras. Deixar que Deus nos mostre essa verdadeira visão torna mais visível o que é real e bom, e nos faz sentir a proximidade desse bem — não apenas o fato de o bem estar presente, mas também de que é a única realidade que está presente e que pode também trazer a cura. Fazemos isso voltando nossos pensamentos para Deus, dispostos a ouvir o que Ele está dizendo e depois cedendo a isso.

Por fim, essa experiência ensinou-me que confiar em Deus requer prática. Mas você pode chegar lá, dando um passo de cada vez. Comece acreditando mais naquilo que Deus está mostrando, do que nas coisas que incomodam. Assim, você estará equipado quando surgirem coisas mais pesadas. 

Não se preocupe. Não depende de você. Quando você realmente encontra quietude interior, consegue sentir o poder de Deus, o bem, inspirando sua fé no bem. Então, mesmo em momentos difíceis, você verá que Deus está de fato presente, dando-lhe as respostas, a esperança e o conforto de que você precisa.

More in this issue / agosto de 2020

A Missão dO Arauto

Quando Mary Baker Eddy estabeleceu O Arauto em 1903, ela disse que sua missão era a de "anunciar a atividade e a disponibilidade universal da Verdade" (The First Church of Christ, Scientist, and Miscellany, p. 353).

O Arauto registra, em suas páginas, a transformação que ocorre na vida de muita gente e mostra que cada um de nós pode chegar à Verdade.

Que alegria pensar que o efeito da Verdade atua na consciência humana, trazendo cura e renovação! Nosso Mestre, Cristo Jesus, nos prometeu algo que de fato está se cumprindo: "E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará" (João 8:32).

Cyril Rakhmanoff, O Arauto da Ciência Cristã, edição de julho de 1998
Conheça melhor O Arauto e sua missão.